Covid-19: primeiro caso confirmado em campo de refugiados de Moria, na Grécia

País prolongou até ao dia 15 de Setembro o período de confinamento imposto aos refugiados que se encontram nos campos.

coronavirus,mediterraneo,refugiados,mundo,uniao-europeia,grecia,
Foto
Campod e refugiados de Moria, na ilha grega de Lesbos ELIAS MARCOU/Reuters

A Grécia anunciou o primeiro caso de contaminação de covid-19 no campo de refugiados de Moria, o principal do país, na ilha de Lesbos, onde permanecem mais de 13 mil pessoas em condições precárias. 

“Um cidadão da Somália testou positivo'”, disse à AFP uma fonte do Ministério grego das Migrações. O doente tinha estado em Atenas e regressara recentemente a Lesbos, de acordo com a mesma fonte.

Em Julho, um refugiado do Iémen com 35 anos, foi registado como contaminado com covid-19 no campo da ilha de Chios.

A Grécia anunciou nesta quarta-feira o prolongamento - até ao dia 15 de Setembro - do período de confinamento imposto aos refugiados que se encontram nos campos.

No país encontram-se mais de 24 mil requerentes de asilo, que permanecem em instalações insalubres e lotadas. Os principais campos de refugiados estão montados em cinco ilhas do Mar Egeu. 

De acordo com as autoridades, os refugiados que chegam à Grécia são sujeitos a uma “quarentena” em “estruturas separadas” para que seja evitada a propagação do SARS CoV-2.

Segundo o balanço oficial, na Grécia morreram 271 pessoas vítimas de covid-19.  Até ao momento não se registou qualquer óbito por covid-19 nos campos de refugiados da Grécia.

A pandemia do coronavírus que provoca a covid-19 já provocou pelo menos 851.071 mortos e infectou mais de 25,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Sugerir correcção