conflitos,tibete,mundo,india,china,asia,
A rainha e o rei de Siquim em Janeiro de 1966 Ron Kroon/Anefo
Para onde vão os hinos quando morrem?

Quando um hino morre, às vezes canta-se a lenda

Para onde vão os hinos quando morrem? Siquim tornou-se parte da Índia através de um referendo, em 1975, organizado quando soldados indianos já tinham invadido o país. No pequeno reino dos Himalaias, muitos ainda se sentem siquimenses e ainda veneram o hino do reino que durou 333 anos. Mas qual é o verdadeiro hino de Siquim?

Quem escreve as palavras “sikkim national anthem” no Google é capaz de ficar confundido pelos resultados. Os primeiros vídeos que surgem, rotulados como tal, parecem não corresponder àquele que foi o verdadeiro hino do pequeno reino budista dos Himalaias, cuja capital, Gangtok, foi construída na sombra do Khangchendzonga, a terceira mais alta montanha do mundo (8586 metros).