inteligencia-artificial,arte-contemporanea,artes,cinema,culturaipsilon,moma,
Gary Sexton

Lynn Hershman Leeson mantém o sorriso perante as máquinas

Artista prolífica e multi-facetada, a norte-americana vem namorando a tecnologia desde os anos 60, quando uma disciplina como a media art era ainda uma bizarria e raras as mulheres a exporem em museus. Numa altura em que o seu trabalho é redescoberto e reavaliado, a Feira do Livro do Porto propõe, de 30 de Agosto a 13 de Setembro, um ciclo que, incidindo sobre os seus filmes, está sempre em comunicação com os demais formatos da sua obra.

“Nós não podemos ser mais inteligentes do que um super computador. Por isso, se não os podes vencer, junta-te a eles”. A frase é de Elon Musk, patrão da Tesla e da Neuralink, fundada em 2016 e cuja mais recente aposta é a criação de um chip que, implantado no cérebro, permitirá a um humano operar directamente um computador, ouvir música ou aceder à internet.