“A explosão em Beirute lembrou-me a guerra na Síria”

São refugiados. Vivem há anos em tendas, no Líbano. Fugiram à guerra na Síria. A covid-19 está a matar-lhes a família lá, e a espalhar-se no campo. Mas quando viram a explosão em Beirute quiseram ir ajudar.

hezbollah,guerra-siria,mundo,siria,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
A vida dos refugiados sírios piorou muito com a pandemia e a crise no Líbano Alexandra Lucas Coelho
hezbollah,guerra-siria,mundo,siria,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
Lynn, 23 anos, deixou Homs aos 16 anos debaixo de bombas Alexandra Lucas Coelho
hezbollah,guerra-siria,mundo,siria,libano,medio-oriente,
Fotogaleria
Abu Omar (esquerda) foi ajudar depois da explosão em Beirute Alexandra Lucas Coelho

Estamos na estrada Beirute-Damasco. Um saltinho, mais rápido que Lisboa-Porto — não fosse a guerra. Pouco antes da fronteira com a Síria chegaremos a Bar Elias, zona que concentra vários campos de refugiados sírios. O nosso destino é um deles.

Sugerir correcção