A aposta dos museus e monumentos no digital vai manter-se mesmo após a pandemia

José Soares Neves, director do Observatório Português das Actividades Culturais, faz o retrato do património cultural do país no pós-covid-19. E defende um novo enquadramento legal para os museus, palácios e monumentos nacionais.

direccaogeral-patrimonio-cultural,museus,politica-cultural,patrimonio,artes,culturaipsilon,
Foto
José Soares Neves, director do Observatório Português das Actividades Culturais (OPAC) DANIEL ROCHA

Sem surpresa, a constatação de que o recurso aos serviços online e às redes sociais com novos conteúdos digitais veio para ficar, na sequência da pandemia da covid-19, é a principal conclusão do estudo que o Observatório Português das Actividades Culturais (OPAC) realizou entre Abril e Junho, e que entretanto publicitou no seu site.