V. Setúbal e Desp. Aves arriscam ir para o Campeonato de Portugal

Comissão de auditoria da Liga reprovou processos de licenciamento e os dois clubes já anunciaram que vão recorrer da decisão.

desp-aves,lpfp,futebol,desporto,v-setubal,futebol-nacional,
Foto
Desp. Aves e V. Setúbal correm o risco de ir para o terceiro escalão LUSA/TIAGO PETINGA

A Comissão de Auditoria da Liga reprovou esta quarta-feira os processos de licenciamento do Vitória de Setúbal e do Desportivo das Aves, que arriscam a relegação para os campeonatos não-profissionais, tendo três dias para recorrer da decisão junto do Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e evitar a despromoção administrativa. Quer os avenses, quer os sadinos já disseram que o vão fazer.

Em caso de recurso, que terá efeitos suspensivos, será necessário aguardar pela confirmação da continuidade do Portimonense (despromovido na última jornada) na I Liga, apesar de a LPFP ter já convidado os algarvios a formalizarem a inscrição.

Desportivo das Aves e Vitória de Setúbal estão, assim, impedidos de proceder à inscrição nas competições profissionais, com a LPFP a referir, através de comunicado, que os dois emblemas não cumpriram os requisitos necessários.

O Desportivo das Aves terminou o campeonato na última posição, tendo o Vitória de Setúbal garantido a permanência na última ronda, com uma vitória sobre o Belenenses SAD.

No caso dos sadinos, foram três os parâmetros não cumpridos pela SAD: inexistência de dívidas a sociedades desportivas; inexistência de dívidas a jogadores, treinadores e funcionários e a situação contributiva regularizada perante a autoridade tributária.

No entanto, já na noite desta quarta-feira, o emblema setubalense anunciou a decisão de recorrer do impedimento à sua inscrição nos campeonatos profissionais. “Ciente de que a razão está do seu lado, o Vitória Futebol Clube não baixará os braços e continuará a trabalhar arduamente na tentativa de ver resolvido este processo”, pode ler-se num comunicado do V. Setúbal, informando ainda que “durante o dia de amanhã [quinta-feira] serão prestados mais esclarecimentos sobre o caso”.​

No que diz respeito aos avenses, foram 16 os pontos que a SAD não cumpriu, três do foro legal (estrutura jurídico-societária, estatutos, órgãos sociais e estrutura societária e ainda o ponto relativo à transparência) e 13 de cariz financeiro, num verdadeiro descalabro que confirma o final penoso de temporada.

Também o Desp. Aves anunciou que vai recorrer da decisão da Comissão de Auditoria da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP). “Sabíamos que nos faltavam alguns pressupostos. No entanto, também se dizia que o Desp. Aves não ia jogar com o Benfica e o Portimonense e lá fomos. Vamos aguardar. Os advogados estão a trabalhar e isto pode ser reversível”, admitiu o presidente da direcção do clube, António Freitas.

Para além do Portimonense, a LPFP convidou ainda o Cova da Piedade e o Casa Pia a inscreverem-se na II Liga, após terem sido despromovidos na sequência do cancelamento do respectivo campeonato devido à pandemia de covid-19.

Sugerir correcção