geracao,millennials,relatorio,actualidade,p3,questoes-sociais,
Ashley Light/Unsplash

Stress, teletrabalho e optimismo na luta pelo clima: como a covid-19 mudou os millennials e a geração Z

Inquérito da Deloitte feito em duas fases (pré e durante a pandemia) mostra que os millennials e jovens da geração Z estão mais preocupados com a saúde, menos stressados, gostam de teletrabalho e estão optimistas na recuperação do clima. Há quem acredite que a pandemia pode ter sido “uma lição” e “oportunidade para reflectir sobre estilos de vida mais saudáveis”.

Stressados durante a maior parte do tempo e sem esperança de recuperar os estragos causados no ambiente. Assim se diziam os mais de 18 mil millennials e jovens da geração Z de todo o mundo que, antes da pandemia, responderam ao Deloitte Global Millennial Survey, o estudo que, no final de cada ano, pretende “perceber tendências junto das gerações mais jovens”, como enquadra Nuno Carvalho, responsável pela área de Capital Humano da Deloitte em Portugal, ao P3. Mas uma pandemia fez o mundo tropeçar — e as respostas às mesmas perguntas acabaram por mudar.