Guarda

A pequena casa em Vale de Estrela onde a ArchDaily gostava de passar o confinamento

A Casa da Gafanha, na Guarda, foi destacada pela ArchDaily como um dos 50 projectos mais vistos na plataforma. O arquitecto Filipe Pina admite o “orgulho” em ver o seu trabalho destacado: “Isto é bem mais difícil para nós, aqui no interior do país.”

João Morgado
Fotogaleria
João Morgado

Numa lista que bem podia chamar-se “os 50 sítios onde gostávamos de passar o confinamento” mora uma casa na aldeia de Vale de Estrela, na Guarda. A ArchDaily reuniu as 50 habitações que mais despertaram a atenção dos visitantes da plataforma dedicada à arquitectura, quando, em 2020, o conceito de casa "ganhou novos significados e valores". O arquitecto Filipe Pina, responsável pela obra, confessa ao P3 que recebeu a notícia com "muito orgulho" e que a distinção da ArchDaily ao atelier da Guarda o deixou "muito surpreendido": "Isto é bem mais difícil para nós, aqui no interior do país". 

"É uma casa pequenina, com uma escala muito menor do que o normal, é no interior do país e tem elementos muito tradicionais. Ficámos surpreendidos." O projecto surgiu de uma encomenda de amigos: "A casa foi uma herança de família. Propôs-se que fosse reinterpretado o passado da casa, mantendo a volumetria ao máximo." Assim, preservando a linguagem arquitectónica já existente, "em memória do passado e da história da família", manteve-se o granito da região. "A nossa ideia era que todos os elementos que fossem novos se distinguissem em relação à ideia do passado, que é a casa de pedra", explica Filipe Pina. E assim, como elemento novo, surgiu o betão.

Para além da preocupação com a luz natural, da construção virada a Sul e da inspiração em alguns elementos (que explicam, por exemplo, a "intenção da reinterpretação dos socalcos") houve ainda espaço para uma inovação que se destaca. Há uma rede que se sobrepõe a um pequeno pátio e que surge com duas funções: "primeiro, a de resguardo, porque está por cima de um pátio inferior, e a ideia foi criar uma barreira que permitisse a passagem sem ser através da construção de um típico guarda-corpos com 90 centímetros de altura; e depois, obviamente, ser um espaço de contemplação, de leitura e de relação com a paisagem."

A Casa da Gafanha representa uma "renovação na história da família" do cliente, mas também o destaque da arquitectura portuguesa na representação internacional: este é o único projecto português a constar nesta lista da ArchDaily. Mas não foi a primeira vez que Filipe Pina viu o seu nome nas página da plataforma: em 2015, a Casa JA foi incluída nos finalistas do prémio internacional Building of The Year.

Texto editado por Ana Maria Henriques

João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
Sugerir correcção