Sindicato dos Jornalistas quer que Lage apresente provas ou se retracte

Treinador do Benfica acusou alguns jornalistas de aceitarem o pagamento de “almoços, jantares e viagens” em troca de notícias para promoverem o seu despedimento do cargo.

Bruno Lage
Foto
Bruno Lage LUSA/MANUEL DE ALMEIDA

O Sindicato dos Jornalistas (SJ) considerou nesta quarta-feira “graves” as acusações feitas por Bruno Lage aos profissionais da comunicação social e solicitou ao treinador da equipa de futebol do Benfica que apresente provas ou se “retracte publicamente”.

Na terça-feira, em conferência de imprensa, após a derrota do Benfica com o Santa Clara (4-3), para a I Liga, no Estádio da Luz, Bruno Lage foi questionado sobre uma eventual demissão do cargo de treinador dos “encarnados”, acabando por lançar suspeitas sobre a idoneidade dos jornalistas e acusando-os de cederem a “almoços, jantares e viagens”.

“Desde a terceira jornada, no jogo com o FC Porto, que vocês estão muito preocupados com o meu lugar. Aliás, até antes desse jogo. Até me chegaram a perguntar qual era o meu ordenado. Vejo sempre muitas preocupações em relação ao meu lugar. Às vezes fico a pensar quem é que vocês andam a tentar promover para entrar no meu lugar. Ou até quem é que vos anda a pagar alguns almoços, jantares ou viagens para entrar aqui no meu lugar. O lugar não é meu, é do Benfica”, afirmou Lage.

Perante estas acusações, o SJ emitiu um comunicado, no qual pediu “ao treinador que apresente as provas que sustentam as suas suspeitas, que são graves e põem em xeque toda uma classe profissional”.

“Na ausência dessas provas, o SJ exige a Bruno Lage que se retrate publicamente e ao Benfica que se demarque das declarações do treinador. As considerações de Bruno Lage, com a visibilidade que o futebol lhe confere, não podem ficar sem um cabal esclarecimento, a bem da verdade jornalística e desportiva”, vincou o organismo.

CNID também protesta

Também a Associação dos Jornalistas de Desporto (CNID) repudiou as “declarações inaceitáveis, de qualquer ponto de vista”, do treinador do Benfica.

“O treinador Bruno Lage teve ontem [na terça-feira] declarações inaceitáveis, de qualquer ponto de vista […]. Não foi uma opinião, foi uma acusação que tem de ser repudiada”, lê-se no comunicado assinado pelo presidente do CNID, Manuel Queiroz.

Para esta estrutura representativa dos jornalistas desportivos, a mensagem de Lage “foi uma acusação inaceitável e completamente desajustada” e “causou uma enorme indignação na classe”, recordando o “homem correcto e sensato que Bruno Lage tem sido, respeitador e educado”.

“Os jornalistas que lhe fizeram as perguntas são os mesmos que, na época passada, acompanharam os seus grandes resultados e as suas excelentes conferências de imprensa”, realçou o CNID, instando o treinador ‘encarnado’ a que “rapidamente se retracte”.

Sugerir correcção