Torneio de Djokovic provoca surto de covid-19

A final da segunda etapa do Adria Tour foi anulada e ainda não se sabe se a prova, que deveria prosseguir em Banja Luka, na Bósnia-Herzegovina, continuará.

Djokovic durante um encontro do Adria Tour
Foto
Djokovic durante um encontro do Adria Tour Reuters/ANTONIO BRONIC

Primeiro foi Grigor Dimitrov a anunciar estar infectado pela covid-19. Depois, foi Borna Coric, também participante no Adria Tour, a admitir ter sido igualmente contagiado. Mas o vírus fez mais vítimas durante a segunda etapa do torneio criado por Novak Djokovic, para manter os jogadores com ritmo competitivo enquanto os circuitos profissionais não regressam: Marko Paniki, o seu preparador físico, e Christian Groh, treinador de Dimitrov, também testaram positivo. E Djokovic, líder do ranking e actual presidente da associação de jogadores (ATP), está a ser duramente criticado.

Na segunda etapa do circuito, em Zadar (Croácia), Dimitrov defrontou Coric no sábado, perdeu por 1-4 em ambos os short sets, antes de desistir da prova, fatigado, e viajar para casa, no Mónaco onde acusou positivo no teste realizado. Coric ainda jogou nessa noite com Djokovic e até venceu o sérvio, por 4-1, 4-3.

O alemão Alexander Zverev, o russo Andrey Rublev e o croata Marin Cilic, igualmente participantes no torneio, testaram negativo, mas todos decidiram entrar, voluntariamente, em quarentena. Só que mal foi conhecido o resultado do teste de Dimitrov, a final entre Djokovic e Rublev, marcada para domingo, foi anulada. E Sime Vickovic, responsável pela equipa de resposta ao coronavírus na região de Zadar, afirmou que desde então mais mil pessoas já foram testadas. O próprio Djokovic não foi testado antes de sair da Croácia, por não apresentar sintomas, segundo explicou, mas fê-lo ao regressar a Belgrado.

O líder do ranking já estava debaixo de críticas desde o início de Maio, quando violou as regras de segurança em Espanha, onde decidiu passar o confinamento, e foi treinar-se a um clube de Marbella. Mais tarde, não caíram bem as suas declarações em que se mostrava contrário a uma eventual vacinação dos jogadores antes do regresso à competição, bem como a ausência de uma vídeo-reunião entre três centenas de jogadores do circuito ATP para debater as condições necessárias para a realização do Open dos EUA. E ao realizar a primeira etapa do Adria Tour em Belgrado, com público nas bancadas sem máscara e sem distanciamento social – embora permitidas pelas autoridades sérvias – e terminando com uma festa numa discoteca com muitas centenas de convidados, incluindo os jogadores que competiram nesse fim-de-semana, como Dimitrov, Djokovic viu as críticas aumentarem de tom.

Um dos tenistas mais mediáticos, Nick Kyrgios, desejou as melhoras aos colegas, não sem aproveitar para criticar: “É o que acontece quando não se respeita os protocolos. Isto NÃO É UMA BRINCADEIRA”, escreveu nestes termos.

Sugerir correcção