A retoma do futebol europeu começa na Alemanha

Um dia depois do aval dado pelo Governo ao recomeço da Bundesliga, a Liga alemã anunciou que o campeonato germânico regressa a 16 de Maio com jogos à porta fechada

Foto
LUSA/ARMANDO BABANI

Excluindo a Vysshaya Liga, o modesto campeonato da Bielorrússia, país onde a pandemia da covid-19 foi combatida, por ordem do seu presidente Alexander Lukashenko, com vodka e sauna, o futebol europeu entrou em hibernação em meados de Março. Uns atrás dos outros, os campeonatos foram sendo suspensos perante a ameaça do novo coronavirus. Se para algumas ligas (França e Holanda, por exemplo), a interrupção significou um ponto final definitivo na competição, para outras foi apenas um intervalo forçado. Assim, de forma mais célere do que seria expectável, a retoma do futebol europeu acontecerá numa das cinco maiores ligas da UEFA: Dentro de nove dias, a bola voltará a rolar nos relvados da Bundesliga.

Um dia depois do aval dado pelo Governo liderado pela chanceler Angela Merkel ao recomeço do futebol, a Liga alemã anunciou a data do regresso da Bundesliga. Dentro de pouco mais de uma semana (16 de Maio), o derby entre o Borussia Dortmund e o Schalke 04, um dos grandes clássicos do futebol alemão, marcará a abertura da 26.ª jornada da competição.

Conhecido como o revierderby – apenas 32 quilómetros separaram Dortmund e Gelsenkirchen, duas cidades da região do Ruhr -, o confronto entre o Dortmund e o Schalke é tradicionalmente um dos mais aguardados na Bundesliga devido à forte rivalidade entre os adeptos dos dois clubes, mas numa imagem que ficará certamente para a história do futebol, desta vez a mítica “parede amarela” do Westfalenstadion estará pintada pelas cores frias do cimento: pelo menos nas nove jornadas que faltam cumprir na época 2020-21 da Bundesliga, os jogos serão disputados à porta fechada.

Ao anunciar o regresso da competição, Christian Seifert, presidente da Liga alemã de futebol (DFL), reconheceu que houve opiniões divergentes quanto às datas o reinício da prova, mas garantiu que a solução encontrada foi aceite sem problemas. Segundo Seifert, o retomar da Bundesliga acontecerá de forma tão célere para que o campeonato fique concluído até ao fim-de-semana de 27 e 28 de Junho, por razões relacionadas com questões laborais. Para além disso, há a intenção de poder iniciar a época seguinte ainda em Agosto, ainda que esse cenário possa sofrer alterações.

Com o risco permanente do surgimento de um caso de infecção da covid-19 num jogador de um dos planteis da Bundesliga, o presidente da DFL apelou à máxima responsabilidade dos clubes na minimização dos riscos, apelando que seja cumprindo escrupulosamente o plano sanitário desenhado para o efeito. Seifert garantiu que todos os cenários estão previstos, mas só adiantará as medidas concretas caso venha a confirmar-se a existência de um positivo por covid-19.

O presidente da DFL, que revelou que decorre “um diálogo muito construtivo” com os operadores televisivos para que seja permitida a transmissão dos jogos em canal aberto, abordou ainda a possibilidade de ajuntamentos de adeptos para assistirem às partidas em espaços públicos, adiantando que apesar de a questão dever ser encarada com seriedade, está confiante que não haverá problemas: “Nas reuniões que tivemos com os grupos de adeptos, nas últimas semanas, ficámos relativamente tranquilos, porque o que nos disseram é que vão evitar juntar-se”.

O arranque da Bundesliga acabará, também, por servir de tubo de ensaio para os responsáveis por outros campeonatos europeus. Se em França e na Holanda a questão ficou resolvida com as interdições à prática de desportos colectivos impostas pelos respectivos governos, o que ditou a interrupção da liga francesa e o cancelamento do campeonato holandês, um pouco por toda a Europa o final do confinamento ditou o regresso dos jogadores aos relvados.

Se em Portugal o reinicio da competição está previsto para o final do Maio, em Espanha prepara-se o retomar de La Liga para Junho. Embora ainda com cenários indefinidos, a Premier League e a Serie A devem seguir pelo mesmo caminho, possibilitando assim que se cumpra o desejo da UEFA de ter todas as provas nacionais concluídas até 3 de Agosto.