Coronavírus: Privados aguardam orientações da DGS e cancelam consultas e cirurgias não urgentes

No que respeita à questão específica dos ventiladores, as autoridades de saúde estão a fazer o levantamento dos equipamentos existentes em cada região e os hospitais privados estão a colaborar nesse exercício.

Foto
A Associação Portuguesa da Hospitalização Privada (APHP), presidida por Óscar Gaspar. Rui Gaudencio

A Associação Portuguesa da Hospitalização Privada (APHP), presidida por Óscar Gaspar, diz que os privados estão disponíveis para ajudar no combate ao coronavírus e que apenas aguardam orientações da Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Nesse sentido, os hospitais privados também estão a cancelar consultas de especialidade e cirurgias não urgentes no sentido de adaptar os recursos que permitam reforçar a complementaridade com os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), segundo uma informação enviada ao PÚBLICO.

“Os hospitais privados reafirmaram sexta-feira, no Conselho Nacional de Saúde Pública, a sua firme disponibilidade para participar no esforço nacional de combate a COVID-19. Compete às autoridades de saúde, e nomeadamente à DGS, definir os termos concretos em que os hospitais privados podem reforçar a cooperação”, lê-se numa informação enviada ao PÚBLICO.

De acordo com a APHP, “nos próximos dias, a DGS deverá tornar público o modelo de actuação do sistema de saúde na actual fase de luta contra a COVID-19 e será então definido o papel dos cuidados de saúde primários, o papel dos hospitais em geral e a identificação dos hospitais de referência para os efeitos específicos desta doença”.

No que respeita à questão específica dos ventiladores, as autoridades de saúde estão a fazer o levantamento dos equipamentos existentes em cada região e os hospitais privados estão a colaborar nesse exercício.

A APHP afirma ainda que “os hospitais privados estão preparados para responder de acordo com as responsabilidades que lhes forem atribuídas no âmbito da actuação do sistema de saúde”.