O que ficou depois dos protestos no campus em Hong Kong

Um manifestante caminha pelo pavilhão que serviu de dormitório na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Fotogaleria
Um manifestante caminha pelo pavilhão que serviu de dormitório na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA

Foi na noite de domingo, 17 de Novembro, que centenas de manifestantes anti-Governo se barricaram na Universidade Politécnica de Hong Kong (PolyU), transformada em palco de uma batalha campal entre os manifestantes e as forças de segurança. A polícia tentou entrar à força na universidade e respondeu aos manifestantes com gás lacrimogéneo, canhões de água e balas de borracha — ameaçando que poderia vir a usar balas reais se a insubordinação continuasse. Agora, a Reuters partilha uma série de fotografias do que ficou para trás no campus universitário: roupas, lixo, comida, alicates, ferramentas, guardas-chuva – e ainda alguns manifestantes.

 

Um dos últimos manifestantes da barricada na Universidade Politécnica de Hong Kong, naquela que era a linha da frente dos confrontos
Um dos últimos manifestantes da barricada na Universidade Politécnica de Hong Kong, naquela que era a linha da frente dos confrontos Reuters/THOMAS PETER
Sala de mantimentos na Universidade Politécnica de Hong Kong
Sala de mantimentos na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong
Mensagem escrita na parede da Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/ATHIT PERAWONGMETHA
Um manifestante olha pela varanda na Universidade Politécnica de Hong Kong
Um manifestante olha pela varanda na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Pertences deixados para trás na Universidade Politécnica de Hong Kong
Pertences deixados para trás na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Pertences deixados pelos manifestantes na Universidade Politécnica de Hong Kong
Pertences deixados pelos manifestantes na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Pertences deixados pelos manifestantes na Universidade Politécnica de Hong Kong
Pertences deixados pelos manifestantes na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Cantina na Universidade Politécnica de Hong Kong
Cantina na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Sala de mantimentos
Sala de mantimentos Reuters/THOMAS PETER
Cantina na Universidade Politécnica de Hong Kong
Cantina na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Cantina na Universidade Politécnica de Hong Kong
Cantina na Universidade Politécnica de Hong Kong Reuters/THOMAS PETER
Sugerir correcção