Torne-se perito Crítica

Diogo Seixas Lopes: Ars longa, vita brevis

A obra completa (com excepção dos livros) de um autor imprescindível para a compreensão da contemporaneidade europeia da arquitectura do início do século XXI é lançada este sábado na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Diogo Seixas Lopes, autor imprescindível para uma compreensão da contemporaneidade europeia da arquitectura do início do século XXI
Foto
Diogo Seixas Lopes, autor imprescindível para uma compreensão da contemporaneidade europeia da arquitectura do início do século XXI enric vives-rubio/arquivo

Combinámos um encontro a meio caminho, na plataforma da estação de comboios de Aveiro, sentido norte. Ele ia a caminho do Porto e eu estava recluso em Anadia a acabar a redacção da tese de doutoramento. Como numa cena de um filme de César Monteiro, propusemos identificarmo-nos pelas revistas que cada um traria na mão. Eu, a alemã Daidalos, com a qual colaborava na altura, e ele com a sua recém-nascida Prototypo.  Estava longe de imaginar que esse fim de tarde no café da estação de comboios, de conversa ágil e fortuita algures na Primavera de 1999, me desse a conhecer uma personagem capaz de marcar o resto da minha vida. Escrevo estas palavras na convicção de que muitos, em Portugal e fora, partilham deste sentimento e terão tido no seu convívio momentos igualmente memoráveis e, hoje, de imensa saudade.