Reportagem

Transportes públicos: baixam os passes, sobem as queixas

Cinco meses depois de ter entrado em vigor o Programa de Apoio à Redução Tarifária nos transportes públicos, os utentes sobem os tons das queixas, sobretudo agora em que as aulas já começaram e o fluxo atingiu o seu pico. O PÚBLICO fez um balanço do impacto deste programa no Porto e em Lisboa e a conclusão é a mesma: a oferta não está ajustada à procura.

Fotogaleria
Recorrem ao Metro do Porto cerca de “260 mil clientes por dia” Nelson Garrido
Fotogaleria
Apesar do Ministério assegurar que houve um ajuste nos horários, em Lisboa, as pessoas não confirmam que tal tenha acontecido Pedro Fazeres

Em hora de ponta são muitas as pessoas que esperam pelos transportes que as levam de regresso a casa, seja nas paragens de autocarro, no metro ou nas estações de comboio. As caras não são de satisfação. Ou porque a espera é longa, ou porque o transporte já vai cheio e têm de esperar pelo próximo. Há casos de pessoas que esperam mais ainda, pois alternam entre meios de transporte, como é o caso de Ricardo Filipe, de 24 anos, que vive no Porto e tem de esperar “15 minutos para apanhar o próximo autocarro”, após ter chegado, de metro, à estação de Campanhã.