Crise Climática Agora

Centenas de milhares de pessoas saem à rua em dia de greve pelo clima

De Sydney a Nova Iorque, centenas de milhares de pessoas participam em protestos nesta sexta-feira para pedir acção urgente contra as alterações climáticas. 

Em Banguecoque, Tailândia, em frente ao Ministério dos Recursos Naturais e Ambiente EPA/NARONG SANGNAK
Fotogaleria
Em Banguecoque, Tailândia, em frente ao Ministério dos Recursos Naturais e Ambiente EPA/NARONG SANGNAK

Uma jovem em Banguecoque, Tailândia, anuncia no seu cartaz: “Estou a faltar às aulas por causa disto (É bom que valha a pena!)”. Num protesto em Viena, Áustria, lê-se noutra faixa: “Façam amor, não CO2.” Centenas de milhares de pessoas, segundo a Reuters, sobretudo jovens, manifestaram-se nesta sexta-feira em 150 países pedindo medidas urgentes aos governos para fazer face à crise climática. O Guardian fala em “milhões de pessoas” nas ruas.

A “greve pelo clima”, inspirada pela jovem activista sueca de 16 anos, Greta Thunberg, atravessou o globo, da Austrália, ao Japão, passando pela Europa e por África. Nas redes sociais, multiplicam-se as imagens dos protestos, desde o que em Abuja, Nigéria, juntou apenas algumas dezenas de crianças numa escola primária, até ao que mobilizou dezenas de milhares em Hamburgo, na Alemanha. A iniciativa culmina em Nova Iorque com Greta Thunberg, que já foi nomeada para Prémio Nobel da Paz, a liderar uma manifestação junto à sede das Nações Unidas que, na segunda-feira, recebe a Cimeira de Acção Climática, convocada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres

"Está em causa não apena o meu futuro, mas o futuro de uma geração inteira e de todas as gerações que virão depois de nós”, declarou à Reuters Tristan Vancleef, 16 anos, que com mais 15 mil pessoas participou numa marcha em Bruxelas. No Reino Unido, o líder da oposição Jeremy Corbyn afirmou num tweet que 100 mil pessoas participam no protesto de Londres.

Em Sydney, Austrália
Em Sydney, Austrália EPA/STEVEN SAPHORE
Cerca de 30 mil pessoas protestaram em várias cidades australianas
Cerca de 30 mil pessoas protestaram em várias cidades australianas EPA/STEVEN SAPHORE
Em Brisbane, Austrália
Em Brisbane, Austrália Reuters/STRINGER
"Adultos, façam o trabalho de casa" (Banguecoque, Tailândia)
"Adultos, façam o trabalho de casa" (Banguecoque, Tailândia) EPA/NARONG SANGNAK
"Podem ignorar-nos, mas vão arrepender-se", lê-se num dos cartazes (Banguecoque, Tailândia)
"Podem ignorar-nos, mas vão arrepender-se", lê-se num dos cartazes (Banguecoque, Tailândia) EPA/NARONG SANGNAK
Tailândia
Tailândia EPA/NARONG SANGNAK
Em Banguecoque, Tailândia
Em Banguecoque, Tailândia EPA/NARONG SANGNAK
"Ar limpo é o nosso direito", lê-se num dos cartazes (Banguecoque, Tailândia)
"Ar limpo é o nosso direito", lê-se num dos cartazes (Banguecoque, Tailândia) EPA/NARONG SANGNAK
Em Sydney, Austrália
Em Sydney, Austrália EPA/STEVEN SAPHORE
Em Sydney, Austrália
Em Sydney, Austrália EPA/STEVEN SAPHORE
Em Hong Kong,Em Hong Kong
Em Hong Kong,Em Hong Kong Reuters/TYRONE SIU
Em Sydney, Austrália
Em Sydney, Austrália EPA/STEVEN SAPHORE
Na Ilha de Marovo, nas Ilhas Salomão
Na Ilha de Marovo, nas Ilhas Salomão Reuters/Social Media
"A maior ameaça ao nosso planeta é pensar que outra pessoa vai salvá-lo" (Sydney, Austrália)
"A maior ameaça ao nosso planeta é pensar que outra pessoa vai salvá-lo" (Sydney, Austrália) EPA/STEVEN SAPHORE
Na Austrália
Na Austrália EPA/STEVEN SAPHORE
Um cartaz onde se vê Greta Thurnberg, em Camberra, Austrália
Um cartaz onde se vê Greta Thurnberg, em Camberra, Austrália EPA/LUKAS COCH
Em Camberra, Austrália
Em Camberra, Austrália EPA/LUKAS COCH
Na Tailândia
Na Tailândia Reuters/Soe Zeya Tun
Activistas bloqueiam a Ernst-Reuter-Platz, na Alemanha, como forma de protesto
Activistas bloqueiam a Ernst-Reuter-Platz, na Alemanha, como forma de protesto Reuters/Fabrizio Bensch
Em Berlim, na Alemanha
Em Berlim, na Alemanha Reuters/FABRIZIO BENSCH
Em Hong Kong
Em Hong Kong Reuters/TYRONE SIU
Em Colombo, no Sri Lanka
Em Colombo, no Sri Lanka Reuters/DINUKA LIYANAWATTE
Em Nicósia, no Chipre
Em Nicósia, no Chipre EPA/KATIA CHRISTODOULOU
Estudantes em Berlim, Alemanha
Estudantes em Berlim, Alemanha Reuters/FABRIZIO BENSCH
Nairobi, Quénia
Nairobi, Quénia Reuters/BAZ RATNER
Nairobi, Quénia
Nairobi, Quénia Reuters/BAZ RATNER
Em Berlim
Em Berlim Reuters/CHRISTIAN MANG
Alemanha
Alemanha Reuters/FABRIZIO BENSCH
Em Varsóvia, na Polónia
Em Varsóvia, na Polónia Reuters/AGENCJA GAZETA
Varsóvia, Polónia
Varsóvia, Polónia Reuters/AGENCJA GAZETA
Paris, França
Paris, França Reuters/CHARLES PLATIAU
Kiev, Ucrânia
Kiev, Ucrânia Reuters/GLEB GARANICH
Kiev, Ucrânia
Kiev, Ucrânia Reuters/GLEB GARANICH
Kiev, Ucrânia
Kiev, Ucrânia Reuters/GLEB GARANICH
Kiev, Ucrânia
Kiev, Ucrânia Reuters/GLEB GARANICH
Londres, Reino Unido
Londres, Reino Unido Reuters/HANNAH MCKAY
Katowice, Polónia
Katowice, Polónia EPA/ANDRZEJ GRYGIEL
Istambul, Turquia
Istambul, Turquia Reuters/Murad Sezer
Abuja, Nigéria
Abuja, Nigéria Reuters/Afolabi Sotunde
Nova Deli, Índia
Nova Deli, Índia Reuters/Anushree Fadnavis
Bruxelas, Bélgica
Bruxelas, Bélgica Reuters/Yves Herman
Berlim, Alemanha
Berlim, Alemanha REUTERS/Christian Mang
Berlim, Alemanha
Berlim, Alemanha EPA/HAYOUNG JEON
Cidade do Cabo, África do Sul
Cidade do Cabo, África do Sul EPA/NIC BOTHMA
Atenas, Grécia
Atenas, Grécia EPA/ORESTIS PANAGIOTOU
Bruxelas, Bélgica
Bruxelas, Bélgica EPA/STEPHANIE LECOCQ
Estocolmo, Suécia
Estocolmo, Suécia EPA/STINA STJERNKVIST
Paris, França
Paris, França EPA/IAN LANGSDON
Sugerir correcção