Caleb Ewan vence pela segunda vez no Tour 2019

O australiano da Lotto-Soudal ganhou nesta terça-feira ao sprint a 16.ª etapa da Volta a França em bicicleta.

,Capacetes De Bicicleta
Foto
Reuters/CHRISTIAN HARTMANN

Seis dias depois de ser o mais forte no sprint na chegada a Toulouse, o australiano Caleb Ewan (Lotto-Soudal) voltou a bater a concorrência e ganhou nesta terça-feira pela segunda vez uma etapa da 106.ª edição da Volta a França em bicicleta. Com o tempo de 3h57m8s, Ewan foi o primeiro a percorrer os 177 km, com partida e chegada a Nimes, batendo em cima da meta o italiano Elia Viviani (Deceuninck-Quick Step), o holandês Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) e o eslovaco Peter Sagan (BORA-hansgrohe). Na classificação geral, o francês Julian Alaphillipe (Deceuninck-Quick Step) manteve a camisola amarela, com 1m35s de vantagem sobre o galês Geraint Thomas (INEOS).

Um dia depois do segundo e último dia de descanso e um dia antes de o pelotão começar a dirigir-se para os Alpes franceses, o australiano Caleb Ewan igualou os feitos de Alaphilippe e do britânico Simon Yates (Michelton-Scott),  passando a ser o terceiro ciclista a vencer duas etapas no Tour 2019. 

Numa etapa de transição, onde a alta temperatura – os termómetros passaram os 37 graus – desencorajou grandes ataques no pelotão e possibilitou mais uma chegada ao sprint em Nimes, Alaphilippe foi 20.º, com o mesmo tempo de Ewan, mantendo assim a camisola amarela de líder com a mesma vantagem de 1m35s sobre Geraint Thomas. O britânico, apesar de ter sofrido a terceira queda neste Tour, conseguiu reentrar no primeiro pelotão e continua em excelente posição para defender o triunfo da edição de há um ano. O holandês Steven Kruijswijk continua a fechar o pódio,com um atraso de 1m47s para Alaphillipe.

Entre os portugueses, voltou a ser um dia modesto. Nélson Oliveira, que renovou contrato com a Movistar até 2021, foi 59.º e subiu quatro posições na geral (92.º), enquanto José Gonçalves (Katuscha) cruzou a meta em 100.º e ocupa o 125.º posto na classificação. Rui Costa (UAE Team Emirates), continua a ser o melhor português (58.º), mas foi o último português a chegar ao final da 16.ª etapa: cortou a meta na 143.ª posição, a 5m22s de Caleb Ewan.

A etapa ficou ainda marcada pelo abandono de Jakob Fuglsang. O dinamarquês da Astana, que ocupava o nono lugar da classificação geral, a 5m27s de Alaphilippe, foi forçado a desistir na sequência de uma queda coletiva, a 28,5 km da meta.

Nesta quarta-feira, o pelotão vai aproximar-se dos Alpes, onde até domingo haverá uma série de etapas que devem ser decisivas. Na 17.ª etapa, entre Pont du Gard e Gap, o percurso terá 200 km e contará com duas contagens do prémio de montanha, uma de quarta e uma de terceira categoria, a menos de 10 quilómetros da meta.

Classificações

16.ª etapa

1. Caleb Ewan (Lotto-Soudal) 3h57m08s
2. Elia Viviani (Deceuninck-Quick Step) m.t.
3. Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) m.t.
(...)
59. Nélson Oliveira (Movistar) a 38s
100. José Gonçalves (Katusha) a 2m00s
143. Rui Costa (UAE Emirates) a 5m22s

Geral

1. Julian Alaphilippe (Quick Step) 64h57m30s
2. Geraint Thomas (INEOS) a 1m35s
3. Steven Kruiswijk (Jumbo-Visma) a 1m47s
(...)
58. Rui Costa (UAE Emirates) a 1h25m44s
92. Nelson Oliveira (Movistar) a 2h00m54s
125. José Gonçalves (Katusha) a 2h33m50s

Sugerir correcção