Quem quer saber da performance de Nástio Mosquito em Veneza?

Não é fácil programar performance numa bienal que dura seis meses. Desta vez, ficaram concentradas nos primeiros e nos últimos dias para maior impacto. O artista luso-angolano mostra o seu trabalho nos Giardini até sábado.

Fotogaleria
A performance de Nástio Mosquito atraiu uma pequena multidão na sua primeira apresentação RICCARDO BANFI/CORTESIA DELFINA FOUNDATION
Fotogaleria
Nástio Mosquito faz-se acompanhar por quatro músicos RICCARDO BANFI/CORTESIA DELFINA FOUNDATION

Nástio Mosquito, o músico e artista plástico luso-angolano que recentemente se fixou em Lisboa, salvou as artes plásticas nacionais de estarem totalmente ausentes do programa delineado pelo curador internacional da 58.ª Bienal de Arte de Veneza, Ralph Rugoff, nos primeiros dias do evento, destinados a visitantes profissionais como coleccionadores, directores de museu, críticos de arte ou jornalistas, antecedendo a inauguração oficial desta quinta-feira.