Em torno de Shakespeare, uma aposta ganha nos Dias da Música

O universo da obra do poeta e dramaturgo britânico estimulou a imaginação de diversos intérpretes a aventurar-se por programas menos convencionais e a investir no poder musical da palavra.

Fotogaleria
O imaginativo programa To play or not to play, concebido por Marcos Magalhães e Marta Araújo (responsáveis pela direcção de Os Músicos do Tejo) e pelo baixo João Fernandes, surpreendeu. Jorge Carmona / Antena 2
Fotogaleria
Os Músicos do Tejo Jorge Carmona / Antena 2
Fotogaleria
Os Músicos do Tejo Jorge Carmona / Antena 2

A temática Shakespeare — o doce poder da música, escolhida para a edição de 2019 dos Dias da Música, que terminaram no domingo no CCB, teve a virtude de despertar a imaginação de vários dos intérpretes participantes, levando-os a conceber alguns programas fora dos padrões habituais e a experimentar outros modos de conceber o concerto, apostando na teatralidade ou no poder do discurso literário. Serviram também de pretexto para ouvir obras raramente interpretadas em Portugal, como, por exemplo, Tristia e Lelio, de Berlioz, que integraram o concerto inaugural a cargo da Metropolitana.