Fotografar os efeitos das alterações climáticas pode valer até três mil euros

Concurso Phenomena desafia os portugueses a fotografar o impacto das alterações climáticas — uma realidade "presente e não futura". Candidaturas até 22 de Abril.

Foto
Rui Gaudencio

Lançar um olhar crítico sobre um planeta Terra em mudança. O concurso Phenomena vai premiar as fotografias que melhor ilustrem os efeitos das alterações climáticas em Portugal. Nesta simbiose entre a arte e a ciência, "a criatividade é muito bem-vinda". Os candidatos podem concorrer até 22 de Abril e há três mil euros em prémios.

Promovida pela ecoVerney, movimento ecológico da Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade de Évora, a competição incentiva o público em geral a polir a lente da câmara e captar os fenómenos naturais no seu estado mais puro. Por isso mesmo, não é permitida qualquer manipulação digital — o que "não significa que não possam ser fotografias criativas", assegura Maria Ilhéu. Ao P3, a docente na Universidade de Évora e coordenadora do ecoVerney explica que os participantes podem investir em composições e outras representações mais disruptivas: "Podem ser trabalhos que remetem para uma componente artística, em que o fotógrafo coloca elementos em diálogo, que nos trazem uma reflexão."

O concurso quer incentivar os participantes a questionarem-se sobre o que está a acontecer na Terra. As repercussões do aquecimento global são uma realidade "presente e não futura", pelo que o objectivo passa por "despertar" a população para "aquilo que nos rodeia". "A partir da fotografia, não estamos ancorados àquilo que é a explicação do cientista. Estamos a falar de experiências de todos os que fazem parte deste grande colectivo [que é o] planeta", diz a professora de Ecologia.

Nesta tarefa "colectiva", o concurso está aberto, sem excepções, a todos os portugueses, desafiados a reflectir sobre estas mudanças na natureza, diferentes nas várias regiões do país. Segundo o regulamento, cada concorrente poderá submeter o máximo de duas fotografias, a cores ou a preto e branco, e enviar a candidatura até 22 de Abril, data escolhida a dedo, a propósito do Dia Mundial da Terra. Os vencedores serão anunciados até 31 de Maio. Os prémios ascendem aos três mil euros: dois mil para o primeiro classificado e mil para o segundo. As melhores 25 a 30 fotografias vão ainda integrar uma exposição itinerante, numa primeira fase no Alentejo.

O Phenomena é também uma homenagem ao climatologista português João Corte-Real, que morreu em 2018, com 76 anos. "Era uma pessoa que transmitia bastante esperança nos outros, na contribuição que cada um de nós pode dar para construir este conhecimento", recorda Maria Ilhéu.