Civis retirados do último reduto do Daesh na Síria

Operação para derrotar o grupo jihadista aproxima-se do fim – mas não põe termo à guerra na Síria.

Foto
Combatentes das Forças Democráticas da Síria Reuters

A população civil de Baghuz, o último reduto do Daesh na Síria, foi retirada, preparando-se a ofensiva final contra os combatentes jihadistas.

Pelo menos 15 camiões levaram homens, mulheres e crianças de 200 famílias da povoação junto à fronteira com o Iraque.

As Forças Democráticas da Síria, grupo apoiado pelos Estados Unidos, disse não saber se alguns combatentes se infiltraram entre os civis.

Segundo a BBC, há relatos contraditórios sobre a operação em curso. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, organização com sede em Londres que tem contactos no terreno de guerra, diz que saíram civis e combatentes. E especifica que os militantes do Daesh se renderam depois de negociações com as Forças Democráticas da Síria.

A coligação internacional liderada pelos EUA, em declarações também à BBC, diz não poder confirmar e que a informação de que dispõe indica a retirada dos civis e a permanência no local dos "mais aguerridos" combatentes jihadistas.

A derrota desta bolsa significa o fim da operação do Daesh na Síria, onde chegou a ocupar uma parcela significativa de território – ali, e no território que ocupou no Iraque, autoproclamou um califado

A derrota do Daesh não significa, porém, o fim da guerra na Síria, onde o conflito prossegue entre outros intervenientes.