A venda de ventoinhas vai de vento em popa

De Norte a Sul, os portugueses procuram formas de fugir ao calor. Por estes dias, as ventoinhas e os aparelhos de ar condicionado ajudam a suportar os dias quentes.

Foto
Rui Gaudêncio

Para fazer face às altas temperaturas que se têm feito sentir nos últimos dias, começou a corrida aos aparelhos de ar condicionado e às ventoinhas. Com preços mais baixos, são estas últimas que têm mais saída, tanto nas grandes superfícies como nas pequenas lojas.

Como os meses de Junho e Julho registaram temperaturas mais baixas do que nos últimos anos, a corrida só agora começou. De acordo com Clara Costa, responsável pela comunicação do grupo Auchan, do qual faz parte a rede de hipermercados Jumbo, “ontem [quinta-feira], com chegada desta vaga de calor, o crescimento nas vendas foi de 930%”. Contudo, não quantifica quantos aparelhos foram vendidos.

Também na Rádio Popular a procura está em alta e, nos últimos dias, a venda de aparelhos de ventilação disparou. Só nos últimos três, diz o departamento de marketing da cadeia de lojas, foram vendidos “mais aparelhos do que desde o início do Verão”.

Nas lojas AKI, o cenário mantém-se. “Se compararmos as vendas destes dias com as das semanas anteriores ao pico de calor, podemos identificar um crescimento de 700% nas vendas nestes artigos”, indicou ao PÚBLICO o responsável pelo departamento de comunicação da multinacional. Pedro Morais Barbosa acrescentou ainda que as ventoinhas e os aparelhos de ar condicionado portáteis são os mais procurados, sobretudo no sul do país, destino de férias de muitos portugueses, e onde as temperaturas costumam ser mais altas.

Apesar de as grandes superfícies serem a primeira escolha de grande parte dos portugueses, também os pequenos negócios registam aumentos nas vendas.

Depois de o calor ter chegado em força na quinta, só na manhã desta sexta-feira, foram vendidas seis ventoinhas na loja Ponto Frio, em Camarate, Loures. “Como Julho foi fresco, e agora é que começou o calor só agora é que as vendas dispararam”, disse Dora Franco, funcionária da loja, ao PÚBLICO. A maioria dos equipamentos que dali saem são ventoinhas entre os 23 e os 30 euros.