Grupo de pessoas de cara tapada entra em Alcochete e agride jogadores

Um conjunto de cerca de 50 pessoas entrou na academia do Sporting sem se identificarem.

Elementos das claques entram em Alcochete
Foto
Elementos das claques entram em Alcochete Nuno Ferreira Santos

Um grupo de cerca de 50 pessoas, de cara tapada e com algum vestuário ligado a claques do Sporting, chegou de rompante à entrada da Academia do Sporting, ameaçando os jornalistas que estavam na porta da mesma, entrando no recinto e agredindo jogadores e treinador.

Segundo relatos dos jornalistas presentes, à chegada à academia "leonina" este grupo de pessoas gritou para os jornalistas que se encontravam no local não filmarem ou seria pior quando saíssem.

Segundo o que o PÚBLICO apurou, Bas Dost (o holandês teve que ser suturado na cabeça) e Misic foram agredidos, assim como Mário Monteiro do corpo técnico. Houve também uma tentativa de agressão a Jorge Jesus.

O grupo invadiu o balneário e lançou tochas, tornando o ambiente quase irrespirável.

Neste momento, há vários jogadores a contactarem os respectivos empresários e a equacionarem a hipótese de não marcarem presença na final da Taça de Portugal, domingo, contra o Desportivo das Aves. De imediato, recusaram-se a treinar.

Depois, a maior parte dos elementos entrou no recinto sem efectuarem qualquer identificação junto da segurança que se encontrava na portaria, mantendo-se de cara tapada, mantendo-se alguns indivíduos do grupo do lado exterior, para controlar a actuação dos jornalistas.

Poucos minutos depois, o grupo saiu das instalações e só mais tarde chegou a GNR.

Sporting reage em comunicado

O Sporting repudiou os acontecimentos desta terça-feira, quando cerca de 50 adeptos invadiram a Academia de Alcochete. O clube confirmou a existência de agressões a jogadores e elementos da equipa técnica, e informou que vai apurar as responsabilidades dos autores.

"O Sporting Clube de Portugal repudia de forma veemente os acontecimentos registados hoje na Academia Sporting. Não podemos de forma alguma pactuar com actos de vandalismo e agressão a atletas, treinadores e staff do futebol profissional, nem com atitudes que configuram a prática de crime que em nada honram e enobrecem o Sporting Clube de Portugal. O Sporting não é isto, o Sporting não pode ser isto. Tomaremos todas as diligências no sentido de apurar cabais responsabilidades pelo que aconteceu e não deixaremos de exigir a punição de quem agiu desta forma absolutamente lamentável", escreveu o clube na página oficial.