Nelson Garrido
Foto
Nelson Garrido

Estudantes universitários apoiam famílias carenciadas de Vila Real

Segunda edição do programa "Dá-me sete horas aos meus sete dias" arranca a 15 de Março

A Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD) arranca em Março com o projecto "Dá-me sete horas aos meus sete dias" que desafia os estudantes a apoiar famílias carenciadas de Vila Real.

Em 2017, a AAUTAD deu início a este projecto-piloto dirigido a alunos dos cursos de serviço social, psicologia, enfermagem e reabilitação psicomotora e, este ano, decidiu alargar o programa a todos os alunos da academia.

"No ano passado, visto tratar-se de um projeto-piloto, optamos por abrir as inscrições apenas a alunos de cursos ligados às áreas de acção, inclusão social e saúde. No entanto, e dado o número crescente de alunos de todas as áreas que querem participar e ajudar de alguma forma as pessoas e famílias que mais precisam, decidimos alargar as inscrições a todos", declara, em comunicado, o presidente da AAUTAD, António Vasconcelos.

O programa visava colmatar uma lacuna "mais na área da saúde e psicologia", no entanto o dirigente realça que "a realidade que os estudantes encontraram foi outra". "No terreno deparámo-nos com muitas situações de solidão e ausência de afecto, daí que achamos por bem alargar o âmbito do programa, abarcando todos os estudantes que queiram participar, independentemente da área de estudo, mas que tenham essa vontade e a consciência social de ajudar o próximo e que queiram fazer a diferença", afirmou António Vasconcelos, segundo a agência Lusa.

A segunda edição do programa social "Dá-me sete horas aos meus sete dias" arranca a 15 de Março e levará os estudantes voluntários regularmente às casas das famílias sinalizadas. O projecto é desenvolvido em parceria com a Câmara de Vila Real e a empresa municipal Vila Real Social.