Embarcação com 80 metros vira-se e deixa quatro trabalhadores em hipotermia

A draga virou-se durante operação de reposição de areias. Os feridos são quatro trabalhadores, que foram arremessados para a água.

Foto
A embarcação virou na manhã desta segunda-feira em Olhão DR

Uma draga com 80 metros de comprimento pertencente à empresa Sofareias, que se encontrava numa operação de reposição de areias, virou-se na manhã desta terça-feira na barra da Armona, em Olhão. O alerta foi recebido às 8h10 pelo capitão do Porto de Olhão, que enviou de imediato uma embarcação da Polícia Marítima para o local.

De acordo com a Autoridade Marítima Nacional, a troca de turno tinha acabado de acontecer e o táxi marítimo que transportava os trabalhadores ainda se encontrava por perto. Os quatro homens que caíram à água quando a embarcação se virou foram resgatados alguns minutos após o acidente. Ainda assim, em terra apresentavam sinais de hipotermia. Foram transportados para a Estação Salva-Vidas de Olhão.

“Má acomodação das areias"

Em declarações à Lusa, António Pina, presidente da Câmara Municipal de Olhão, referiu que o acidente pode ter tido origem numa “má acomodação das areias dentro do barco” ou no “excesso de carga” e que tinha recebido informações que diziam que a embarcação “tinha grandes quantidades” de combustíveis a bordo e que as autoridades marítimas procuravam “acautelar ou minimizar a situação”.

Apesar dos milhares de litros de gasóleo presentes na embarcação (cerca de 12 mil litros para combustível), não há riscos ambientais sérios, tendo a Autoridade Marítima posto de lado essa preocupação. Neste momento, as autoridades estão a analisar a situação para avaliar as condições de segurança no local.

O Capitão do Porto de Olhão, Nunes Ferreira, confirmou à agência Lusa que “existem pequenas fugas de combustível, embora as condições do tempo minimizem o risco, provocando a sua evaporação”, e anunciou a intenção de retirar ainda esta terça-feira o combustível da embarcação. 

Texto editado por Hugo Torres