“Testes do pezinho” mostram que natalidade diminuiu em 2017

Diminuição acontece depois de três anos consecutivos do aumento dos nascimentos em Portugal.

Foto
Nelson Garrido

Pelo menos 86.180 crianças nasceram em 2017, menos 1397 do que em 2016. Esta diminuição acontece após três anos consecutivos de aumento de nascimentos. Os dados relativos aos “testes do pezinho” realizados no ano passado, que cobrem a quase totalidade de nascimentos, foram divulgados nesta quarta-feira.

O “teste do pezinho” é o nome pelo qual é conhecido o Programa Nacional de Diagnóstico Precoce (PNDP), coordenado pelo Instituto Ricardo Jorge, através da sua Unidade de Rastreio Neonatal, Metabolismo e Genética, do Departamento de Genética Humana. Com uma cobertura de quase 100%, este exame permite averiguar o número de nascimentos anuais.

Em 2017, foram realizados 86.180 testes, menos 1397 do que no ano anterior. Lisboa foi o distrito com mais exames realizados (25.300), seguindo-se o Porto (15.872). Portalegre foi o distrito com menos testes (643).

O “teste do pezinho” é realizado a partir do terceiro dia de vida do recém-nascido, através da recolha de umas gotículas de sangue no pé da criança, e permite diagnosticar algumas doenças graves que clinicamente são muito difíceis de diagnosticar nas primeiras semanas de vida e que mais tarde podem provocar atraso mental, alterações neurológicas graves, alterações hepáticas ou até situações de coma.

Sugerir correcção