Incêndios florestais

A urgência de segurar a terra

Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta

O que é que se faz num concelho em que 98% do território ardeu? Por onde se começa? Há oito mil hectares de terreno situados em declives muito acentuados – o que fazer? “Começa-se por sinalizar os primeiros cinco hectares”, limita-se a dizer José Carlos Marques, responsável pela protecção civil de Oliveira do Hospital, encolhendo os ombros. Esta a acompanhar os trabalhos que, sob a coordenação do Instituto de Conservação da Natureza (ICN), os homens da Força especial de Bombeiros e do GIPS – Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro, da GNR, estão a fazer numa das encostas da estrada que liga a freguesia de Penalva de Alva à sede de concelho, em Oliveira do Hospital.

O trabalho destes homens passa por colocar troncos em pontos estratégicos, de forma a criar zonas que possam conter a velocidade de escorrências e o arrastamento de sedimentos encosta abaixo. O objectivo é poupar as populações que vivem no fundo dos vales, mas também impedir a erosão, e o desaparecimento de terreno fértil que possa permitir a reflorestação. Luísa Pinto

Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta
Paulo Pimenta