Em Marvila, a olhar para as paredes

O “Poster 2017” é mais do que um convite para ver arte. É uma proposta para conhecer Marvila e quem lá vive. Até ao dia 19 de Novembro, a exposição de 30 cartazes partilha as ruas com caixotes do lixo, paredes degradas e retroescavadoras.

Em Lisboa, entre a zona do Parque das Nações e Santa Apolónia está a renascer Marvila. As obras, não as de arte, pretendem melhorar um dos sítios mais degradados da capital. Ao cenário de construção, junta-se o “Poster”, um conjunto de propostas artísticas que convidam os visitantes a conhecer uma zona da cidade, aonde ainda há “espaço e tempo para a contemplação”.

A iniciativa espalhou cartazes por Marvila, onde o itinerário é um processo de descoberta dupla: dos lugares escolhidos e da exposição das telas.

À semelhança do que aconteceu na primeira edição, no ano passado, foram 25 os nomes convidados a criar cartazes. Entre eles estão a designer norte-americana Jessica Walsh, a artista Kruella d’Enfer, o cantor Sérgio Godinho, a fotógrafa Matilde Travassos, os arquitectos do Atelier Mob ou o coreógrafo Rui Horta. A estes juntam-se os cinco vencedores da Open Call, o concurso que foi aberto a todo quantos quiseram expor nas paredes de Marvila.

Há ainda cartazes que não são feitos para mostrar ao público. É o caso das obras feitas por crianças no “Mini Poster”. Este ano, a Obra do Ardina e a Casa Pia foram as instituições escolhidas para participar nesta ideia.

Veja mais vídeos PÚBLICO 360º.

Sugerir correcção