Reitor da UTAD é o novo presidente do Conselho de Reitores das Universidades

Fontainhas Fernandes eleito presidente do CRUP. Fortalecimento das instituições do interior do país e rejuvenescimento dos recursos humanos são prioridades.

Foto
Adriano Miranda

António Fontainhas Fernandes, reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), sucede a António Cunha como presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP). A escolha foi feita na tarde desta terça-feira no plenário dos reitores logo à primeira volta. O novo líder elege o fortalecimento das instituições do interior do país e o rejuvenescimento dos quadros de docentes e funcionários como prioridades para o mandato, que vai durar três anos.

Havia apenas um outro candidato à liderança do CRUP na reunião que decorreu na tarde desta terça-feira, em Lisboa. Era o reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva. 

"Âncoras do desenvolvimento das regiões"

Os reitores “deram um sinal claro de que o país não pode estar dividido entre litoral e interior”, valoriza ao PÚBLICO o novo presidente do organismo que representa as universidades públicas. Fontainha Fernandes elege o fortalecimento das universidades que estão sediadas em regiões de baixa densidade, como é o caso da UTAD, como uma das prioridades do mandato. “Estas instituições são âncoras do desenvolvimento dessas regiões”, sublinha.

Fontainha Fernandes fala também numa “grande unidade” do CRUP em torno dos principais temas que acredita vão marcar os três anos em que liderará os reitores das universidades públicas. O primeiro desses “desafios” será garantir condições para o rejuvenescimento dos quadros de professores e funcionários, evitando o que chama a “drenagem de talento” que está a atingir o ensino superior por falta de capacidade para manter os melhores diplomados. 

O presidente eleito do CRUP promete ainda dar centralidade às questões do financiamento – “é necessário reclamar níveis de investimento compatíveis com os parceiros intenacionais”, diz –, reclamar um reforço da autonomia das universidades públicas e incrementar o papel do Conselho de Reitores junto dos organismos do sistema científico e de inovação. 

Fontainhas Fernandes tem 55 anos e nasceu em Guimarães. Foi reeleito, em Março, reitor da UTAD até 2021. Tinha sido escolhido para o cargo pela primeira em 2013. Nessa altura já contava com um longo percurso em cargos de gestão da instituição de ensino superior sediada em Vila Real. Foi presidente da Escola de Ciências da Vida e Ambiente (2009-2013), pró-Reitor da Avaliação e Qualidade de Ensino, entre 2006 e 2010 e pró-Reitor das Estruturas Especializadas e Projetos Estruturantes (2010-2012). É Professor Catedrático de Bioquímica Ambiental da UTAD desde 2008.

O reitor da UTAD vai suceder à frente do órgão que representa as universidades públicas a António Cunha, que tinha sido eleito há precisamente três anos. O até aqui presidente do CRUP está prestes a terminar o seu mandato como reitor da Universidade do Minho e já não podia recandidatar-se a esse cargo, pelo que já se sabia que iria deixar a liderança das universidades. Cunha mantém-se em funções durante mais um mês, até à próxima reunião do CRUP, marcada para a Madeira, onde decorre a tomada de posse de António Fontainhas Fernandes.

Sugerir correcção