Banksy, aliás, Robert del Naja: a teoria ganha mais força

Fãs acreditam que a identidade do artista de rua britânico foi acidentalmente revelada por Goldie numa entrevista.

Foto
Robert Del Naja em Julho de 2016 em Lisboa, com os Massive Attack DR

A pergunta “Quem é Banksy?” tem sido, ao longo dos últimos anos, fonte de intenso debate. Várias teorias acerca da identidade do mais famoso street artist do mundo, umas mais conspirativas do que outras, circulam sem que nenhuma resposta conclusiva tenha até agora sido avançada. Uma delas, a de que Banksy é na verdade o pseudónimo do músico Robert Del Naja, dos Massive Attack, ganhou nova força depois de Goldie, músico, DJ e histórico da street art de Bristol, ter inadvertidamente confirmado a tese.

Em entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip, Goldie, que nos anos 80 protagonizou com Robert Del Naja uma das mais longas "batalhas" de graffiti da história do Reino Unido, apontou o exemplo de Banksy para debater o modo como a street art é encarada pela sociedade: “[O graffiti] ainda é incompreendido, mas desenha uma letra em jeito de bolha e escreve ‘Banksy’ numa t-shirt e estamos fixes… Já a podemos vender”, afirmou.

O que depois acrescentou, num aparente deslize, foi o rastilho para as reacções que deflagraram entre os fãs: “Não quero desrespeitar o Rob, acho que é um artista brilhante que virou o mundo da arte do avesso." Após a referência ao nome, Goldie fez um silêncio e direccionou a conversa para o tema seguinte. Agora, a pergunta é se esse silêncio vale como confirmação da verdadeira identidade de Banksy. Os fãs acreditam que sim.

As declarações aparentemente acidentais de Goldie vêm dar força à teoria do jornalista Craig Williams, que, no ano passado, investigou durante cinco meses o caso e concluiu que Robert Del Naja, dos Massive Attack, estava efectivamente por trás de Banksy, dada a coincidência geográfica e cronológica entre as digressões de um e a aparição de novos graffiti do outro – ainda que o próprio Del Naja tenha já desmentido a teoria afirmando, em concertos dos Massive Attack, que "todos somos Banksy". "É um companheiro. Tem aparecido nalguns concertos. É só uma questão de logística e coincidência, nada mais do que isto", sublinhou ainda.

Paralelamente aos que querem acreditar que estamos cada vez mais perto de saber quem é Banksy, há também quem veja no deslize de Goldie mais uma manobra para reavivar o mito da identidade-mistério do artista. Suposições à parte, a resposta à pergunta “Quem é Banksy?” continua por responder.