Um filme que é “uma carta de amor” aos gatos de Istambul

Têm praticamente estatuto de monumento na cidade. Quem visita Istambul, na Turquia, sabe que conviver com os felinos é tão importante como visitar museus, mesquitas, palácios ou mercados. Os gatos são parte da identidade. Haroon Adalat cresceu rodeado por eles e acredita que a infância dele foi "infinitamente menos solitária do que teria sido se não fosse por causa dos gatos". E mais: "Não seria a pessoa que sou hoje", diz o realizador na apresentação do projecto. "Eram meus amigos e confidentes e senti falta deles em todas as outras cidades onde vivi." O filme Kedi — que tem estreia marcada para 10 de Fevereiro e cujo trailer já foi divulgado — é "uma carta de amor" aos felinos e à própria cidade. Conta a história de sete das "centenas de milhares" de animais que passeiam pela cidade. Porque, acredita o autor, "em Istambul, os gatos são um espelho de nós mesmos". Basta entrar no palácio Topkapi, sede do poder otomano durante séculos, para convencer os mais incrédulos: os felinos entram e saem do palácio mais valioso e respeitado do país com uma desfaçatez inaudita aos nossos olhos. Para quem, mesmo assim, tenha dúvidas, receita-se a A Cidadela, de Orhan Pamuk, o único nobel turco, onde o grande escritor de Istambul explica o papel que eles tiveram na eliminação da peste na idade média.

 

 

Sugerir correcção