Doyen fala em compensação total de 20 milhões de euros

CEO da empresa congratula-se com "vitória moral" e diz não esperar mudança de rumo por parte da direcção do Sporting.

Foto
AFP/PATRICIA DE MELO MOREIRA

A Doyen Sports já se congratulou pela decisão do Tribunal Federal da Suíça (TFS) de rejeitar o recurso do Sporting no âmbito do "caso Rojo", considerando-o "uma vitória moral". Segundo as contas da empresa, a compensação devida pelos "leões" ascende agora a 20 milhões de euros.

"A decisão do TAS [Tribunal Arbitral do Desporto] de 2015, agora validada pelo TFS, confirmou a validade dos contratos assinados entre o Sporting e a Doyen Sports. Caem assim por terra as pretensões do Sporting de que a justiça civil daria razão ao clube, assim como o menosprezo do seu presidente pelo TAS e pelo seu conhecimento dos contratos no sector do futebol", assinala a Doyen, em comunicado.

Quanto às novas contas e ao pagamento a que o clube de Alvalade ficará obrigado, a empresa que gere direitos económicos de variadíssimos jogadores e treinadores é taxativa: "A compensação devida à Doyen Sports ascende atualmente a €20 milhões, sendo que a estes valores continuarão a somar-se juros de mora de 5%, até que o pagamento seja efectivamente liquidado", prossegue, incluindo já verba respeitante ao marroquino Labyad. "O Sporting Clube de Portugal vê-se assim obrigado a pagar à Doyen Sports, pela transferência do Marcos Rojo, um valor total de cerca €18 milhões, numa decisão que já não é passível de recurso".

Para Nélio Lucas, CEO da Doyen, esta decisão configura uma espécie de "vitória moral". "Mesmo assim, não duvido que quem gere o clube continuará com a mesma lenga-lenga fantasiosa, no sentido de justificar a política recorrente de não respeitar os compromissos assumidos pelo clube, usando todos os malabarismos possíveis a fim de retardar o inevitável. O seu legado será de agravar as consequências que inevitavelmente o Sporting tem que suportar", considera.