Design

O mundo de Charles e Ray Eames, pela voz do neto

Eames Demetrios, neto de uma das duplas de designers mais famosa do séc. XX, Charles e Ray Eames, recorda a sua infância passada no estúdio dos avós, em Washington, onde costumava brincar com os irmãos. Qualquer protótipo de um projecto, maquete ou mobiliário que lá encontrassem era sinónimo de brincadeira. “Apesar de serem obras famosas ou emblemáticas, eles queriam que elas fossem usadas”, contou o neto ao PÚBLICO.

No Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT) estão em exposição alguns dos objectos mais famosos do atelier Eames, entre eles uma torre musical. Quando era criança, Eames chegava a colocar 40 berlindes dentro e cada um, à medida que ia pela torre abaixo, tocava várias notas. “Era um pesadelo para as pessoas que estavam a trabalhar no estúdio”, recorda. Mais do que grandes designers, Eames reconhece que Charles e Ray sempre estiveram presentes para os netos. Com eles aprendeu a descobrir no design uma forma de expressão da interacção do indivíduo com o mundo. “Seria óptimo se o design fosse ensinado como uma competência de vida e não profissional. Porque o design é algo que o ser humano faz e é capaz de ser aquilo que nos define, mais do que a língua”.

A obra de Charles e Ray Eames é extensa e diversa: não ficou apenas pelo desenvolvimento de mobiliário, mas também de filmes, design gráfico, projectos arquitectónicos e até de novos modelos pedagógicos. A exposição “O Mundo de Charles e Ray Eames” estará patente no Maat até dia 9 de Janeiro de 2017.

Sugerir correcção