Torne-se perito

José Tolentino Mendonça vence Grande Prémio de Literatura APE para crónica

O prémio foi atribuído ao livro Que coisas são as nuvens, de José Tolentino Mendonça, que reúne textos publicados no semanário Expresso.

Foto
Poeta, sacerdote e professor, José Tolentino Mendonça nasceu em 1965, na Ilha da Madeira Miguel Manso

O escritor José Tolentino Mendonça venceu a 1.ª edição do Grande Prémio de Literatura Associação Portuguesa de Escritores (APE)/Câmara Municipal de Loulé - Crónica e Dispersos Literários, foi esta quarta-feira anunciado.

De acordo com a APE, o prémio, no valor de 10 mil euros, foi atribuído ao livro Que coisas são as nuvens, de José Tolentino Mendonça, que reúne textos publicados no semanário Expresso e é uma edição do jornal.

O júri, constituído por Casimiro de Brito, José Ribeiro Ferreira e José Cândido Oliveira Martins, decidiu atribuir o prémio por unanimidade.

Da acta destaca-se a atribuição "dadas as qualidades múltiplas da obra: a notável abrangência temática e ideológica; a oportunidade e intemporalidade de uma reflexão sobre a cultura contemporânea".

Poeta, sacerdote e professor, José Tolentino Mendonça nasceu em 1965, na Ilha da Madeira, doutorou-se em Teologia Bíblica em Roma, regressando a Lisboa, onde se tornou capelão e docente da cadeira de Teologia Bíblica na Universidade Católica.

Nesta 1.ª edição da Grande Prémio de Literatura – Crónica e Dispersos Literários, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, concorreram, a título excepcional, obras publicadas nos anos de 2014 e 2015.

A cerimónia de entrega do prémio terá lugar no Dia do Município, 5 de Maio, pelas 12h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Loulé.

Sugerir correcção