Acidente em França: Vítimas são dos distritos de Aveiro, Guarda e Viseu

Acidente ocorreu por volta das 23h45 de quinta-feira na estrada nacional 79, perto de Lyon, na localidade de Montbegny, Moulins, no centro de França. Condutor da carrinha tem 19 anos e sobreviveu. É sobrinho do proprietário da carrinha.

As autoridades francesas investigam se a carrinha acidentada tinha condições para transportar 12 pessoas
Foto
As autoridades francesas investigam se a carrinha acidentada tinha condições para transportar 12 pessoas AFP

As 12 vítimas mortais do acidente perto de Lyon, França, são dos distritos de Aveiro, Guarda e Viseu, mais concretamente dos concelhos de Cinfães, Sernancelhe, Oliveira de Azeméis, Pombal, Castelo de Paiva, Arouca e Trancoso, disse à Lusa fonte do Governo português.  

O secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, tinha informado na manhã desta sexta-feira que uma família de Cinfães está entre o grupo de 12 portugueses mortos no acidente de viação na quinta-feira à noite em França, em Moulins. Pelo menos duas outras pessoas serão de Fajões, uma freguesia do concelho de Oliveira de Azeméis, segundo disse à SIC Notícias o presidente da Junta de Freguesia, Jorge Paiva. 

"Confirmamos a morte dos 12 portugueses, como podemos informar que uma das famílias - um homem com 39 anos, uma mulher de 28 anos e uma criança de sete anos - é oriunda do concelho de Cinfães", declarou à Lusa José Luís Carneiro.

"A câmara municipal [de Moulins], que fica na região de Lyon, está a desenvolver esforços no âmbito do gabinete de crise, que por sua vez está a apoiar os portugueses, porque haverá agora uma fase de deslocação das famílias para o reconhecimento presencial, após identificação legal dessas vítimas", acrescentou. O presidente da Câmara de Cinfães, Armando Mourisco, indicou, entretanto, que para além desta família, há um quarta vítima, de 34 anos, oriunda da freguesia de Travanca, que também se situa no seu concelho.

Em declarações ao PÚBLICO, o presidente da Câmara de Trancoso, Amílcar Salvador, confirmou que o proprietário da carrinha e o jovem que a conduzia, que é seu sobrinho, são oriundos da freguesia de Palhais, situada no seu concelho. O autarca indicou que o proprietário tinha outras carrinhas que afectuam este percuso com "muita regularidade", sobretudo nestas alturas festivas, já que da região saíram muitas pessoas para trabalhar na Suíça. Amílcar Salvador escusou-se a comentar as condições de segurança destes transportes, indicando que não conhecia as carrinhas e que esta é a altura de prestar apoio às famílias. 

Uma das vítimas mortais, de 61 anos, "que estava há muito emigrada na Suiça", também tinha casa e vários familiares em Palhais. A sua irmã e cunhado, com cerca de 60 anos, que também morreram no acidente, viviam em Arnes, no vizinho concelho de Sernancelhe. "Vinham passar a Páscoa e também aproveitar para comemorarem os 90 anos da mãe, cujo aniversário é no dia 3 de Abril", disse Amílcar Salvador. 

As vítimas morreram na sequência de um choque frontal entre a carrinha em que seguiam e um veículo pesado, onde estavam dois condutores italianos que sobreviveram. A carrinha desviou-se para a faixa contrária e colidiu de frente com o camião.

O condutor da carrinha foi levado para o hospital em Moulins. O veículo em que seguiam os portugueses saiu da Suíça (Lausana) por volta das 21h de quinta-feira e tinha como destino Portugal.

O acidente aconteceu na estrada nacional 79, a Estrada Centro-Europa Atlântico (RECEA), considerada uma das quatro estradas mais perigosas da França, em particular nessa zona de Allier, na região de Auvergne.