Vila do Conde quer que construção naval de madeira seja Património da Humanidade

Está a ser preparado um protocolo com os estaleiros do concelho para que todo o saber, com centenas de anos, na construção de barcos, seja registado e compilado.

Foto
Paulo Pimenta

A Câmara de Vila do Conde pretende candidatar Património Cultural Imaterial da Humidade a técnica da construção naval em madeira dos estaleiros do concelho, onde nos Descobrimentos eram construídas caravelas.

A intenção foi divulgada nesta segunda-feira pela presidente da autarquia, Elisa Ferraz, na apresentação do projecto “Vila do Conde: Um porto para o mundo", que pretende divulgar o património material e imaterial do município neste âmbito naval, que tem como ex-líbris a réplica da nau quinhentista, ancorada na cidade.

"Ouvimos muitos especialistas e achamos que, com base na nossa história, tínhamos argumentos para candidatar a nossa construção naval em madeira à UNESCO para património da humanidade, não só na vertente do edificado como também nos conhecimentos dos nossos estaleiros", disse autarca

Para isso, a Câmara Municipal de Vila do Conde tem já na calha um protocolo com os estaleiros do concelho, para que todo o saber, com centenas de anos, na construção de barcos, seja registado e compilado.

"Vamos promover uma partilha e registo dos conhecimentos e métodos, porque se não tivermos esta precaução brevemente não haverá ninguém que saiba como construir um barco de madeira, até porque estes carpinteiros navais de Vila do Conde já começam a ter uma idade avançada", disse Elisa Ferraz.

A presidente da Câmara acredita que a candidatura à UNESCO poderá avançar a partir de 2017, mas garante que no imediato já decorrerão iniciativas para divulgar este património de Vila do Conde no país, na Europa e no mundo.

"Já temos grandes eventos ligados a este projecto, desde logo uma grande exposição, com todo o espólio que temos, e que decorrerá no Mosteiro de Santa Clara, um teatro de rua que será feito na envolvência da nau, e um congresso internacional ligado à construção naval", partilhou.

Ainda no âmbito neste projecto de preservação da história naval vila-condense, não estão postas de lado a construção de mais réplicas de naus da época dos descobrimentos e um encontro internacional de embarcações antigas.

A iniciativa ‘Vila do Conde: um porto para o mundo' terá como patrono o ex-Presidente da República Mário Soares, cuja presença nesta divulgação do projecto estava prevista, mas não se concretizou.

"Será um patrono muito especial, porque é uma referência em Portugal de grandes projectos internacionais, e foi enorme alegria ter aceitado este convite. Ele, que gosta tanto de Vila do Conde, tinha combinado vir, mas não teve condições de saúde para sair de Lisboa".

As iniciativas do projecto ‘Vila do Conde: um porto para o mundo' começam já no próximo mês de agosto com espectáculo de teatro na zona ribeirinha da cidade.