25 anos do PÚBLICO

O físico João Magueijo será o director por um dia da nossa edição especial de 5 de Março.

Foto
O físico João Magueijo será o director por um dia do PÚBLICO João Henriques/Arquivo

No Ano Internacional da Luz e dos 100 anos da teoria da relatividade geral de Einstein, o PÚBLICO escolheu o Tempo como tema para celebrar os 25 anos do jornal e convidou o físico teórico João Magueijo para director por um dia da nossa edição especial de 5 de Março.

A festa vai concentrar-se em quatro dias, de quinta (dia 5) a domingo (dia 8), mas vai prolongar-se até 2016.

Quando decidimos celebrar a ciência, área de saber à qual o PÚBLICO sempre deu enorme valor, percebemos que íamos mergulhar num processo de desmultiplicação. Mas não antecipámos que o tempo, tão abstracto e avassalador, nos levasse a caminhos tão radicais. Nem o grafismo resistiu.

Como se tivéssemos parado o tempo, o jornal impresso do dia 5 será um caso único – e talvez uma antecipação do futuro. Não terá as secções tradicionais, mas sim três grandes blocos – tempo de tudo, tempo de agora e tempo das últimas 24 horas.

O jornal de dia 5 tem mais de 100 páginas e será oferecido. Esta edição gratuita é o presente do PÚBLICO aos seus leitores. Inclui textos e entrevistas dos convidados de João Magueijo, um generoso presente do arquitecto Álvaro Siza, História aos quadradinhos (ou rectangulosinhos) aberta à interpretação de quem os aprecie e uma selecção de 25+1 momentos em que o tempo acelerou ou regrediu no último quarto de século, para além de dezenas de abordagens sobre o tempo.

No mesmo dia, no site, publicamos o vídeo Um dia normal, que tem 1440 minutos, tantos quantos os que cabem em 24h, um mosaico de Portugal em 2015. Há um minuto de uma cirurgia ao coração, um minuto de alguém que faz as malas antes de uma volta ao mundo, um minuto de Adriana Calcanhotto, directora da edição de aniversário do PÚBLICO de 2014, antes de entrar no palco na Gulbenkian, um minuto de um sem-abrigo a dormir na rua.

Na sexta, o ípsilon escreve sobre The Clock, de Christian Marclay; no sábado a Fugas dá uma volta ao mundo em 27 dias, e no domingo a revista 2 entrevista 11 portugueses “fora do tempo”, escolhidos pelo físico Carlos Fiolhais, e antecipa, pela voz de 22 especialistas, Portugal em 2040.

A propósito do futuro, vamos enterrar, em parceira com a EDP, uma cápsula do tempo para ser aberta no 50º aniversário do jornal. Vhils começará, também na 2, a levantar a ponta do véu de um projecto que culminará no Verão com 25 desenhos que o artista fez a partir de 25 capas do PÚBLICO.

Isto é “dentro” do jornal. Fora, vamos celebrar o tempo no CCB e no Museu Berardo, em Lisboa. No dia 5, há uma Conversa sobre o Tempo (18h30, entrada livre), na Sala Luís de Freitas Branco, CCB, com Magueijo, a cosmóloga Marina Cortês, o historiador Diogo Ramada Curto, o crítico de arte Alexandre Melo e o filósofo Nuno Nabais. E às 22h é a estreia de The Clock, um filme que dura 24h e cuja exibição em Portugal resulta da parceria Museu Berardo/PÚBLICO. The Clock estará seis semanas em Lisboa.