O Nuno Prata enfiou-nos o saco

Nuno Prata é um músico que não se impõe. Pouco conhecido, apesar de três álbuns editados e de ter sido baixista nos Ornatos Violeta, porém, as suas canções observam-nos. Elas até sabem da nossa vidinha precária de tenrinhos cidadãos do vão empenho. Parece que o artista tem olhos nesses sacos que abundam lá por casa. Pelo menos, é assim que se apresenta graficamente no seu último álbum. Mas como praticamente já ninguém põe a mão nos álbuns, o realizador Vasco Mendes percebeu que esse seria o melhor modo de o apresentar adequadamente no formato que agora as pessoas vêem a música. Ou seja, a melhor forma de fugir ao conceito performativo dos videoclipes, porque sabe que é mais eficaz e criativo jogar com a sua desconstrução. E com isso, bem representando o artista: discreto, sem se impor a cantar, porém, sempre a fitar-nos. E dissimuladamente a dizer que parecemos o Cristo que por cá “Vai Andando Sobre as Águas”; nós, não querendo enfiar a coisa, lá vamos assobiando esta cativante melodia.

Sugerir correcção