Portrait Route
Foto
Portrait Route

Portrait Route: um “estudo antropológico” dos europeus através de retratos

Os "freelancers" Tânia Neves, Pedro Sadio e Manuel Martins vão percorrer cinco mil quilómetros por cinco países e estudar diferenças e semelhanças entre os europeus. Da viagem vão nascer duas exposições — em Lisboa e em Amesterdão

Em conversas informais, Tânia Neves e Pedro Sadio partilhavam frequentemente o “desgosto” que a perda do hábito de fazer retratos lhes provocava — retratos “a sério”, daqueles para os quais as pessoas se aperaltavam todas, nos quais um fotógrafo profissional era uma personagem importante. Vai daí que os dois fotógrafos lisboetas decidiram juntar-se ao vídeografo portuense Manuel Martins e fazer algo por este registo fotográfico: Portrait Route vai viajar cinco mil quilómetros por cinco países e tentar fazer uma espécie de “estudo antropológico” através do retrato — o que distingue e o que une diferentes pessoas de diferentes locais?

Na mala do carro onde os três "freelancers" (e um cão, já lá vamos) vão viajar, durante 20 dias, há uma coisa que não vai faltar: um pano preto, que vai funcionar como o fundo comum do estúdio portátil onde vão trabalhar. A ideia é criar uma imagem consistente e limpa de quaisquer outros elementos. Ao Portrait Route não interessa mostrar se os fotografados estão em Madrid ou Paris, se estão em Lisboa ou em Amesterdão — interessam os rostos, as expressões, os cortes de cabelo, a linguagem, os trejeitos, os comportamentos, as roupas e os objectos que usam. Conseguiríamos distinguir os portugueses dos espanhóis só por uma imagem deste género?

Da viagem — cujo início está previsto para o dia 13 de Outubro —, vão nascer duas exposições, uma em Lisboa e outra em Amesterdão, que vão contar não apenas com os retratos mas também com um documentário sobre toda a experiência. Para ajudar a financiar o projecto, está a decorrer uma campanha de “crowdfundig” no Indiegogo que espera juntar cinco mil euros. Quem contribuir não fica de mãos a abanar (a menos que dê apenas um euro): por exemplo, com 15 euros recebe um “print” com uma “selfie” dos participantes num destino à escolha, com 50 euros tem direito ao livro da Portrait Route editado pela Koy Lab e com 250 tem direito ao livro e a uma sessão fotográfica de quatro horas num estúdio de Lisboa. Na Holanda, os "prints" vão ser feitos pela HT Projects e também já há garantias de que a exposição pode ser levada avante, com o apoio da Broedplaats ACTA.

Há ainda vários pormenores da viagem por fechar — em que automóvel vão viajar (estão a tentar encontrar um patrocínio para esse fim), onde vão ficar alojados, quantos dias vão ficar em cada cidade. Praticamente certo é que terão como companhia um cão, resgatado de uma associação escolhida pela Movimento Movido a 4 Patas: “Eu fotografo para uma associação, para ajudar cães a encontrar novos donos, e a directora lançou-me o desafio de levarmos um animal connosco”, contou Tânia Neves, que vive actualmente em Lisboa mas já fez de Inglaterra e da Holanda a sua casa. “Não nos desviando do objectivo principal do projecto, achamos que era um casamento feliz em que chamamos a atenção para o assunto do abandono dos animais.”

Para já, o trio de criativos já fez alguns contactos com pessoas que vivem em Barcelona, em Madrid e em Amesterdão — não só para ajudar a divulgar o projecto localmente como para encontrar pessoas que estejam dispostas a serem fotografadas. A ideia é haver alguma margem de manobra no terreno mas ter algumas certezas e conseguir fotografar pelo menos dez pessoas de cada vez que o estúdio móvel seja montado. Durante a viagem, Tânia, Pedro e Manuel pretendem partilhar diariamente as experiências que forem vivendo — é acompanhá-los pelo Facebook.