Holanda vence o grupo B sem pôr o pé no acelerador

Dois homens saídos do banco deram o terceiro triunfo à equipa de Van Gaal.

Foto
Paulo Withaker/Reuters

Com a passagem aos oitavos-de-final da prova já garantida, tanto Holanda como Chile entraram em campo mais preocupados com o próximo desafio do que propriamente com o encontro que decidiria quem seria o vencedor do grupo B. Só que Van Gaal encontraria a fortuna em dois homens que não jogaram de início: Fer e Depay saíram do banco no decorrer do segundo tempo para selar uma vitória por 2-0, que vale o primeiro lugar do grupo.

Sem Van Persie na equipa, devido a castigo (foi a primeira vez em 18 anos que os holandeses jogaram sem um único Van no "onze"), a selecção de Robben e companhia protagonizou apenas um lance de registo durante todo o primeiro tempo, justamente pelos pés do extremo do Bayern, por quem os anos parecem não passar. Aos 40', o avançado, de 30 anos, pega na bola antes da linha do meio-campo, arranca a alta velocidade e, apesar da oposição de que foi sendo alvo, só a larga quando, já dentro de área, consegue uma nesga de espaço para rematar, com o tiro a sair ao lado.

Do outro lado, Jorge Sampaoli, que, numa declarada política de poupança, optou por deixar Arturo Vidal no banco, viu a sua equipa ser dona da bola (ao intervalo, os chilenos tinham completado 270 passes contra 100 dos holandeses), mas nem por isso teve oportunidade de vibrar com grandes lances de perigo - os momentos de algum frisson surgiriam apenas na sequência de bolas paradas.

E se o primeiro tempo terminou sem que houvesse qualquer remate na direcção das balizas, no reatamento até pertenceria ao Chile a primeira tentativa bem-sucedida. Aos 65', Alexis Sánchez, já dentro da área, livra-se de Jermaine Lens com assinalável perícia, mas não consegue mais do que rematar à figura de Cillessen.

Só que, se a Holanda continuava a jogar em serviços mínimos (Robben foi sempre a excepção), Van Gaal ainda tinha um coelho para tirar da cartola. Ou melhor, dois. Aos 75', já a pensar nos oitavos-de-final, o técnico fez descansar Sneijder, fazendo entrar para o seu lugar Fer, que só precisou de 90 segundos para apontar o golo mais rápido de um suplente neste Mundial. Num canto, o médio do Norwich apareceu sozinho e só teve que cabecear para o fundo das redes. Já em tempo de compensação, Depay, que já tinha saído do banco para marcar frente à Austrália, voltou a repetir a "gracinha" e selou a terceira vitória da Holanda em três jogos, garantindo o triunfo da selecção dos Países Baixos no grupo B.