Fotogaleria
Cada desenho tem uma lista com informação e contacto de várias instituições sociais DR
Fotogaleria
DR

Arquitectos do MIMA Lab. dão desenhos a quem for solidário

Mário Sousa e Marta Brandão, do MIMA Lab., criaram uma campanha de solidariedade "baseada na confiança recíproca": enviam um desenho de grandes proporções a quem prometer ajudar uma instituição social. Valor base é de cem euros

A ideia é simples e assenta numa relação de confiança recíproca: a MIMA Campaign é uma campanha de solidariedade que procura ajudar instituições sociais portuguesas. Como? Através de um conjunto de desenhos inéditos, enviados gratuitamente a quem se comprometer a fazer um donativo solidário.

Mário Rebelo de Sousa e Marta Brandão, os jovens arquitectos portugueses por detrás da MIMA House, fazem desenhos para todos os projectos que desenvolvem. Tantas vezes lhes disseram que tinham potencial que decidiram dar-lhes um fim solidário. Ao todo são 32, de grandes dimensões (160 x 47 centímenos) e ideais para “serem expostos numa sala ou num espaço grande”, sugere Mário, em entrevista ao P3.

Os desenhos são enviados gratuitamente para qualquer morada em Portugal. Só é preciso prometer contribuir monetariamente para uma instituição social nacional à escolha, de entre a lista que acompanha cada um. “Queremos sublinhar que nenhum dinheiro passa mesmo por nós. Damos os desenhos às pessoas que gostam deles e, se elas nos prometerem que vão reverter algum dinheiro em favor de uma acção social, então temos o nosso objectivo cumprido”, resume Marta, via Skype a partir da Suíça.

PÚBLICO -
Foto
Mário Sousa e Marta Brandão são arquitectos e dividem o tempo e o trabalho entre Portugal e a Suíça DR

O valor de referência que Mário e Marta sugerem para a contribuição é de cem euros. Quem desejar fazer parte da MIMA Campaign deve enviar uma mensagem através da página de reserva, mencionando o trabalho escolhido. Todos os desenhos serão enviados por correio a 20 de Dezembro de 2013, garantem.

A página da campanha está online há apenas dois dias e Mário acredita que já conseguiram angariar perto de 600 euros. “Disseram-nos que éramos malucos, que nos iam ficar com os desenhos todos, mas o que se tem visto é que as pessoas só ficam com eles se, de facto, tiverem possibilidades de dar o dinheiro”, explica. “Acreditamos nas pessoas mesmo antes de elas acreditarem em nós. Queremos criar hábitos de solidariedade.”

O projecto que lançou o MIMA Lab., a MIMA House, “nunca esteve tão bem”, conta Mário. As exportações já arrancaram e esta casa portuguesa pré-fabricada vai chegar a Austrália, Nova Zelândia, França e Brasil. A dupla de arquitectos acabou de lançar uma linha de mobiliário e para 2014 está previsto um novo produto. Acreditam que a arquitectura “não se esgota no espaço arquitectónico”. “Devemos destronar a ideia de que os arquitectos são inacessíveis”, remata Mário.

Sugerir correcção