Ferreira Leite elogia os militantes que não apoiaram certos candidatos do PSD

Social-democrata não consegue “visionar qual foi a estratégia” do partido nas autárquicas.

Ferreira Leite: “É bom que as pessoas se apercebam que existem outras linhas”
Foto
Ferreira Leite: “É bom que as pessoas se apercebam que existem outras linhas” Daniel Rocha

No seu habitual comentário na TVI24, Manuela Ferreira Leite disse que os militantes que “não apoiaram determinado tipo de candidaturas” autárquicas do PSD “prestaram um bom serviço ao partido”.

“É bom que as pessoas em muitas circunstâncias se apercebam que existem outras linhas”, afirmou a antiga presidente do PSD.

A social-democrata disse ainda não acreditar que estes militantes sejam castigados pelo partido. Lembrou, porém, que a situação é diferente para aqueles que se candidataram contra o partido, já que os estatutos prevêem a expulsão.

Ferreira leite considerou ainda que os resultados do PSD nas autárquicas devem representar uma lição para o partido e afirmou “não visionar qual foi a estratégia” do PSD.

“Eu não sou capaz de visionar qual foi a estratégia do PSD. […] Houve soluções que, obviamente, eram uma imposição da máquina [do partido] aos eleitores. Nalguns casos, não houve a mínima das considerações por quais seriam os interesses das populações”, acrescentou

Recusando-se a citar candidatos, a social-democrata afirmou ainda que “sobranceiramente houve imposições absolutamente inaceitáveis e que foram mal sucedidas”.

“Nalguns casos foi brincadeira com o bom senso dos cidadãos”, salientou. Já sobre as avaliações da troika conhecidas nesta quinta-feira, Ferreira Leite considera que elas “são boas para Portugal”, mas salientou que o Governo ainda tem muitas explicações a dar e voltou a afirmar que o défice de 4%, ou até 4,5%, para 2014, “não é exequível”.