Silves é a melhor maternidade para o lince ibérico

Todas as 17 crias nascidas este ano continuam vivas. A estas, juntam-se mais 27 nascidas em Espanha.

Este ano houve uma ninhada com cinco crias, pela primeira vez em cativeiro
Foto
Este ano houve uma ninhada com cinco crias, pela primeira vez em cativeiro DR

Este ano, nasceram 53 crias de lince ibérico nos centros de reprodução em cativeiro em Portugal e Espanha, das quais sobreviveram 44 – tantas quanto na temporada de 2012. O centro de Silves, no Algarve, foi o que registou maior taxa de sucesso, pelo segundo ano consecutivo: nasceram 17 crias e todas continuam vivas.

É apenas mais um capítulo com um final feliz, de uma história que começou em Maio de 2009, com a inauguração do Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro para o Lince Ibérico, na Herdade das Santinhas, em Silves. A temporada de partos de 2013 começou em Março e desde então as 17 crias continuam saudáveis, à espera do momento em que serão libertadas na Natureza, em território espanhol.

Em Junho, Jazz e Joaninha, dois dos linces nascidos em 2012 no centro de Silves, foram libertados em Guarrizas, na Andaluzia. Foram as últimas libertações de 2013, ano em que 11 dos 19 linces reintroduzidos saíram do centro português. No entanto, em Agosto, o colar de radiotransmissão do Jazz foi encontrado num aterro em Almagro, na comunidade autónoma de Castela-La Mancha. A Guardia Civil espanhola está a investigar o caso, mas suspeita-se que o animal tenha morrido, por causas ainda desconhecidas, e alguém terá decidido deitar o colar num contentor de lixo.

Cinco crias numa só ninhada

Em Silves, esta temporada de reprodução ficou marcada pelo parto da fêmea Fruta, que teve cinco crias numa só ninhada. Esta é a primeira ninhada de cinco crias registada em cativeiro desde o começo do programa.

Segundo os dados mais recentes do Programa de Crias em Cativeiro de Lince Ibérico, disponibilizados pela Consejeria Andaluza de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente e citados pelo jornal espanhol 20minutos, no total nasceram 53 linces ibéricos nesta temporada, repartidos por 18 ninhadas, em quatro dos cinco centros de reprodução existentes em Portugal e Espanha. Apenas 44 sobreviveram.

No princípio da temporada de crias, foram definidos 25 pares reprodutores nos vários centros, sendo que dois desses casais foram emparelhados com o objectivo de serem castrados e recolhidos os respectivos embriões.

Dos casais que se reproduziram com êxito, sete estão no centro de Silves e os restantes estão em Espanha. Quatro encontram-se no centro de Zarza de Granadilla, em Cáceres, onde nasceram 12 crias, das quais duas não resistiram. Cinco casais estão no centro de La Olivilla, em Jaén, onde nasceram 13 crias, das quais sobreviveram oito, e seis casais encontram-se no centro de crias de El Acebuche, em Doñana, onde nasceram 11 linces, nove ainda vivos.

O lince-ibérico é a espécie de felino mais ameaçada do mundo, classificada como criticamente em perigo de extinção na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza. O último censo, de 2011, dava conta de 298 exemplares de lince-ibérico.

A reprodução em cativeiro é uma solução de fim de linha para tentar evitar a extinção do lince-ibérico (Lynx pardinus). O objectivo do projecto ibérico LIFE Iberlince (2011-2016) é reforçar com estes animais as duas únicas populações em estado selvagem, em Doñana e na Serra de Andújar, na Andaluzia, recuperando também as populações que existiam em Portugal, na Extremadura espanhola e em Castela-La Mancha.

Notícia actualizada às 13h54:

acrescenta dados sobre um dos linces libertados este ano e sobre o projecto Iberlince