PJ faz buscas a farmácia no Hospital de Santa Maria

Farmácia de venda livre instalada no exterior do hospital nunca pagou percentagem das vendas de medicamentos a que estava obrigada.

A farmácia de Santa Maria abriu em Abril de 2009
Foto
A farmácia de Santa Maria abriu em Abril de 2009 Nuno Ferreira Santos

A Polícia Judiciária (PJ) procedeu nesta terça-feira a buscas à farmácia de venda livre no perímetro do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, no âmbito de uma investigação que está em curso, disse à agência Lusa fonte policial. As buscas policiais decorreram na farmácia externa ao hospital, que serve o público em geral.

Fonte do hospital disse à Lusa que os elementos da PJ entraram no perímetro hospitalar às 7h e que ainda se encontram na farmácia. Esta informação foi transmitida à administração do hospital pelos serviços de segurança, uma vez que oficialmente o Santa Maria ainda não foi informado da acção da PJ, segundo a mesma fonte.

Inaugurada a 14 de Abril de 2009 — numa cerimónia onde esteve o então primeiro-ministro, José Sócrates, e a ministra da Saúde, Ana Jorge —, esta farmácia deveria ter pago uma percentagem das vendas e uma renda ao hospital, o que nunca chegou a acontecer.

A existência de farmácias de venda ao público no perímetro dos hospitais só foi possível após legislação aprovada em Dezembro de 2006 e foi sempre contestada pela Ordem dos Farmacêuticos.

A primeira farmácia de venda ao público num hospital foi instalada em Leiria (Santo André) e inaugurada a 4 de Setembro de 2008, também na presença do primeiro-ministro e da ministra da Saúde.