Bombeiros salvam recém-nascido atirado pelo esgoto na China

Mãe deu à luz numa casa de banho e terá atirado o bebé pelo buraco da latrina. Caso está a causar uma onda de indignação nas redes sociais.

Um bebé foi resgatado nesta terça-feira pelos bombeiros, na China, dos canos de esgoto da casa de banho de uma residencial, onde esteve preso durante duas a três horas após ter nascido, segundo a polícia local.

A mãe do menino, solteira e com 22 anos, escondeu a gravidez dos seus vizinhos com medo de ser criticada, disse à AFP um agente policial da cidade de Jinhua, na província oriental de Zhejiang.

A mulher deu à luz no sábado na casa de banho de uma residencial, que tem latrinas instaladas rente ao chão, apenas com um buraco para os dejectos. Segundo o polícia, que pediu o anonimato à AFP, a criança terá caído nesse buraco e ficou presa nas tubagens.

A mãe terá então chamado o proprietário da residencial, dizendo que ouviu “barulhos estranhos” na conduta. Assim que se apercebeu da existência de um bebé no cano do esgoto, o homem chamou a polícia.

Os bombeiros demoraram quase uma hora a separar a secção da tubagem onde se encontrava o bebé e a abrir o cano, que tem um diâmetro de dez centímetros. “A mulher esteve presente no local durante a operação de salvamento… e admitiu ser a mãe quando foi questionada”, afirmou a fonte policial, acrescentando que estão à procura do pai da criança.

“Temos ainda de investigar se houve más intenções” e eventualmente submeter a mulher a exames, disse o agente.

O bebé pesava 2,3 quilos, apresentava pequenos cortes e por momentos teve uma redução da frequência cardíaca, mas a polícia afirma que ele se encontra estável no hospital, sem inspirar grandes cuidados. A mãe, porém, está em estado grave devido às complicações resultantes do parto.

O abandono de bebés é frequente na China, onde vigora a política do filho único. As imagens do salvamento foram transmitidas pela televisão chinesa e o caso está a gerar uma onda de indignação nas redes sociais, com as pessoas a pedirem punição para os responsáveis.