Canstruction: arte solidária com latas chega a Portugal

Oliveira de Azeméis recebe no próximo fim-de-semana a primeira edição portuguesa da Canstruction. A iniciativa angariou em 2012 mais de 1,5 mil toneladas de alimentos

mstcweb
Fotogaleria
mstcweb
istorija/Flickr
Fotogaleria
istorija/Flickr

Oliveira de Azeméis recebe no próximo fim-de-semana a primeira edição portuguesa da iniciativa “Canstruction”, que, criando esculturas com milhares de latas de conservas doadas para solidariedade, angariou em 2012 mais de 1,5 mil toneladas de alimentos.

Relacionando na sua designação oficial os termos “can” e “construction” — que significam “lata” e “construção” na língua inglesa —  a organização criada em Nova Iorque em 1992 alargou-se entretanto a 11 países, onde as suas “maratonas artísticas de luta contra a fome” são dinamizadas sobretudo por equipas de engenheiros, arquitectos e outros técnicos ligados à construção.

É por isso que Chakshu Mehta, director de operações da Canstruction Inc., se revelou à Lusa particularmente entusiasmado pelo facto de, em Portugal, a estreia do projecto se verificar por iniciativa de uma escola — a Básica e Secundária de Fajões — e envolver oito comunidades educativas diferentes — entre as quais as de Gaia, Trofa, Aveiro, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira e Ponta Delgada.

“Neste momento só temos um Canstruction Junior em desenvolvimento em Portugal, mas estamos receptivos a acolher mais cidades”, declarou Chakshu Mehta. “Gostaríamos de ver mais eventos Junior a decorrer em escolas de todo o mundo”.

Integrando actualmente 100 equipas em representação de 150 cidades, dispersas por países como Estados Unidos, Reino Unido, Hong-Kong, Argentina e Austrália, a estrutura internacional da Canstruction privilegia sempre as entidades que trabalham na luta contra a fome nas próprias localidades de onde são oriundas as equipas de escultores.

“Não contamos o número de latas que recolhemos porque a maioria dos bancos alimentares só mede as doações em libras ou quilogramas”, observa Chakshu Mehta. “Mas o ano passado conseguimos 1.542.213 quilos e 933,38 gramas de comida”.

Só latas metálicas e com comida nutritiva

Sempre aplicadas em esculturas antes de serem doadas às instituições, as embalagens doadas têm obrigatoriamente que ser metálicas e na competição pela obra mais criativa “só são autorizados alimentos nutritivos”.

A maioria das peças é assim esculpida com recurso a latas de atum, milho, feijão, ervilhas, espinafres e várias combinações de fruta. Na montagem, as equipas mais técnicas “habitualmente começam por definir a forma da escultura e depois seleccionam a lata de cor e dimensão perfeitas para conseguirem esse desenho — sendo que latas mais pequenas criam um pixel melhor e curvas mais suaves”.

A primeira experiência da Canstruction, em 1992, tinha como único objectivo colocar 13 equipas de arquitectos e engenheiros nova-iorquinos a competirem entre si, ao mesmo tempo que “retribuíam à sociedade”. Em 2011 a campanha já recolhia 1,1 mil toneladas de alimentos e, no ano seguinte, esse valor registava um aumento na ordem dos 40 por cento.

“Somos muitos ambiciosos”, garante Chakshu Mehta. “Queremos aumentar esse valor e ter mais eventos internacionais que nos ajudem a chegar às duas mil toneladas”.

Sugerir correcção
Comentar