Farmácia de associação mutualista da Covilhã dá 10% de desconto

Desde que começaram as obras de construção da farmácia social, em Agosto, a instituição ganhou cerca de 250 novos associados.

A Associação Mutualista Covilhanense inaugurou esta quinta-feira uma farmácia social, exclusiva para associados, que venderá todos os produtos com 10% de desconto.

Instalada no edifício do Centro Comunitário do Apoio ao Idoso, junto ao Largo do Calvário, na zona alta da cidade da Covilhã, a farmácia terá disponíveis todos os produtos de uma farmácia comercial. O projecto de apoio social vai abranger todos os medicamentos, incluindo “medicamentos sujeitos a receita médica”, referiu o assessor da direcção da associação, Hélder Morais.

Os mais de dois mil associados da associação passam a contar, assim, com um espaço de “apoio social” que facilita o acesso aos fármacos por parte dos utentes. O projecto visa “ajudar os mais desfavorecidos”, nomeadamente os reformados e os desempregados, embora qualquer associado possa beneficiar do desconto. Hélder Morais explica que os utentes da Associação Mutualista Covilhanense pagam entre 1 euro, no caso dos reformados, e 2,5 euros mensais, caso dos restantes associados.

O presidente da Associação Mutualista Covilhanense, Carlos Casteleiro, disse que está em marcha uma campanha de angariação de novos sócios. Segundo Casteleiro, o objectivo da associação é a “intervenção social”, nomeadamente junto dos idosos, que representam uma “grande percentagem dos associados”. A saúde é uma das áreas em que a associação “mais intervém”.

A farmácia social vai funcionar ao lado de um centro clínico da associação, onde os utentes já têm acesso a um médico de clínica geral. A licença de funcionamento da farmácia foi aprovada pelo Infarmed em Dezembro. Os objectivos são, como refere Hélder Morais, “diferentes dos das farmácias comerciais”, havendo aqui uma preocupação social a sobrepor-se à procura de lucro.

O projecto não contou com qualquer apoio. “Foi todo pago com capitais próprios da associação”, refere Hélder Morais. Apesar de ter suportado todo o investimento com recursos próprios, a associação contraiu um empréstimo bancário para dispor de uma "almofada financeira" que lhe permita fazer face a algum imprevisto.

A Associação Mutualista Covilhanense desenvolve, ao mesmo tempo, outros projectos de apoio social, nomeadamente aos idosos, como uma residência, com “apartamentos” privados para cada utente, e um programa de combate à solidão. Dinamiza ainda cantinas sociais e um projecto de apoio a alcoólicos.

País tem 14 farmácias mutualistas

Em declarações à Lusa, o presidente da União das Mutualidades Portuguesas, Luís Alberto Silva, refere que, ao contrário das outras farmácias, nas farmácias sociais “os resultados obtidos são sempre aplicados no reforço dos benefícios concedidos aos associados e familiares ou na criação ou melhoria de serviços de apoio social". Segundo a mesma instituição, após a inauguração da farmácia da Covilhã, passa para 14 o número de farmácias sociais deste tipo de instituições em Portugal.