Banco público de células estaminais vai ser reaberto

Encerrado em Setembro, por aí terem sido detectadas irregularidades, o Lusocord vai ser reactivado numa parceria do Instituto do Sangue com o Hospital de S. João.

O Lusocord é o único banco público de recolha de sangue de células do cordão umbilical
Foto
O Lusocord é o único banco público de recolha de sangue de células do cordão umbilical Fernando Veludo/NFactos

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) e o Hospital de S. João, no Porto, vão reactivar o único banco público de recolha de sangue de células do cordão umbilical.

O IPST, que tutela o banco de células estaminais desde Agosto, e o Hospital de S. João assinam esta semana um protocolo para recolha na maternidade do hospital do Porto, mas a rede será posteriormente alargada a outros hospitais, noticiou a TSF esta quinta-feira.

O Lusocord tinha sido encerrado em Setembro pelo instituto, por aí terem sido detectadas irregularidades na gestão e nos procedimentos de recolha de células estaminais. Hélder Trindade, presidente do IPST, explicou que o trabalho de campo já está em curso.

"Uma vez que, neste momento, já decorreram todos os ensaios para podermos começar a congelação de unidades de sangue do cordão, nos próximos dias um passo importante é assinarmos o protocolo com a primeira maternidade que vai entrar em colaboração com o banco público do cordão, a maternidade do Hospital de S. João. A partir desse momento, estamos em condições de começar a última fase, que é a de criopreservação de unidades de sangue de cordão", esclareceu.

Quanto aos motivos que levaram ao encerramento do Lusocord em Setembro — irregularidades na recolha, transporte e conservação das células estaminais —, Hélder Trindade garante que o processo passará a ser sujeito a outro tipo de cuidados.