I Liga

Maicon abriu caminho para a liderança do FC Porto

O FC Porto foi mais forte do que o Feirense, no Dragão
Foto
O FC Porto foi mais forte do que o Feirense, no Dragão Foto: Fernando Veludo/NFactos

Maicon, com um golpe de cabeça, tirou o FC Porto de uma situação complicada. Os portistas, que realizaram uma primeira parte sofrível perante um surpreendente Feirense, entraram com mais velocidade no segundo tempo e destroçaram o adversário em muito pouco tempo. Primeiro reduziram os forasteiros a dez elementos e depois, em quatro minutos, destroçaram os homens de Santa Maria da Feira, com James a selar a vitória que faz com que o FC Porto entre, na sexta-feira, na Luz, como líder da Liga (em igualdade pontual com o Benfica). A notável exibição do guarda-redes Paulo Lopes não foi suficiente.

O FC Porto passou por dificuldades algo inesperadas frente a uma equipa do Feirense que, apesar de ocupar os últimos lugares, pratica um futebol positivo e tem um conjunto que sabe o que está a fazer em campo. Tem Hélder Castro, Diogo Cunha, Miguel Pedro, que jogam atrás de Buval, todos elementos bons tecnicamente. O treinador Quim Machado também deu uma ajuda para as dificuldades portistas ao manter Fernando sobre pressão, colocando a sua equipa a pressionar logo no meio-campo adversário. Lucho e João Moutinho, que gostam de trocar a bola de forma perfeita, passaram muito tempo a correr atrás do adversário, jogando a um ritmo lento e incapazes de oferecerem profundidade ao futebol da equipa. Só Hulk, quando podia, dava alguma velocidade ao futebol da equipa. A complicar tudo isto, Varela (saiu aos 29’, cedendo o lugar a James) não conseguiu ganhar um lance individual a Pedro Queirós.

Ainda assim, o FC Porto teve mais futebol e oportunidades de golo, embora a primeira jogada com princípio, meio e fim da equipa da casa tivesse surgido quando já estavam decorridos 19’, num lance em que Álvaro Pereira cruzou, o central Varela aliviou mal e o avançado portista Varela, à entrada da área, encheu o pé, com a bola a sair por cima. Um lance que surgiu quando o adversário tinha um elemento a menos em campo (o lateral Pedro Queirós estava a receber assistência).

Salvou-se uma ou outra iniciativa de Hulk, sempre mal finalizadas, com o brasileiro a dar a ideia que passa um momento sem grande confiança. Desperdiçou Hulk , aos 27’ e 34’. Não acertou James (aos 43’), depois de um passe do brasileiro que, em boa posição para rematar, optou para entregar ao colombiano, que obrigou Paulo Lopes a uma boa defesa. E o guarda-redes feirense voltaria a evitar o pior, aos 42’, com uma defesa notável num remate livre de Hulk.

O bom futebol do Feirense ainda ameaçou, aqui e ali, Helton. Particularmente, aos 39’, quando Diogo Cunha apareceu solto na esquerda, cruzou rasteiro, Álvaro Pereira cortou de forma defeituosa e por muito pouco a bola não ficava ao alcance de Hélder Castro. Dois minutos depois, foi Maicon que errou, deixando passar a bola, com Buval a antecipar-se a Rolando, ficando a um pequeno passo de emendar para o fundo da baliza.

Mas a segunda parte trouxe um FC Porto com outra velocidade. Inicialmente, ainda esbarrou no excelente Paulo Lopes que, aos 50’, realizou uma bela defesa, após um remate de primeira de Janko. O austríaco voltou a estar perto do golo (55’), mas o cabeceamento saiu por cima. A seguir (57’) o avançado, lançado por Hulk, isolou-se e foi agarrado por Luciano. O árbitro assinalou grande penalidade e mostrou o vermelho ao central. Mas o brasileiro na grande penalidade não bateu o extraordinário Paulo Lopes.

O Feirense finou-se neste momento. E o jogo passou a ser de sentido único. O inevitável aconteceu, aos 68’, com Maicon a saltar mais alto que toda a gente e a fazer o golo, após um livre de James. Logo a seguir, Lucho enviou uma bomba ao ferro. E, aos 72’, surgiu a jogada mais bonita da partida, iniciada e concluída pelo jovem colombiano, depois de passar por Moutinho e Lucho.

POSITIVO

Paulo Lopes


É um guarda-redes veterano, 33 anos, mas realizou uma exibição notável. Paulo Lopes realizou um punhado de defesas extraordinárias e foi fazendo sofrer os mais de 34 mil adeptos portistas que se encontravam na bancada. Defendeu mesmo uma grande penalidade a Hulk. Não se lhe podia pedir mais.


James Rodríguez

O colombiano entrou para o lugar do lesionado Varela e acabou por ser fundamental para quebrar a resistência do Feirense. Marcou o livre para a cabeça de Maicon abrir o marcador e depois selou o resultado.


NEGATIVOPrimeira parte do FC Porto

O Feirense não teve mais oportunidades que o adversário em toda a primeira parte, mas anulou os pontos fortes portistas e jogou o jogo pelo jogo. Sobressaíram futebolistas como Hélder Castro, Diogo Cunha ou Miguel Pedro.


Ficha de jogoFC Porto, 2
Feirense, 0

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.Assistência
34.229 espectadores.

FC Porto

Helton, Sapunaru (Djalma, 66’), Maicon, Rolando, Álvaro Pereira, Fernando, João Moutinho (Defour, 77’), Lucho Gonzalez, Hulk, Janko e Varela (James Rodríguez, 29’).

Treinador

Vítor Pereira.

Feirense

Paulo Lopes, Pedro Queirós, Luciano, Varela, Serginho, Sténio, Cris (Thiago, 85’), Hélder Castro, Miguel Pedro (Bamba, 71’), Buval e Diogo Cunha (Fonseca, 76’).

Treinador

Quim Machado.

Árbitro

João Ferreira, de Setúbal.

Amarelos

Miguel Pedro (42’), Hélder Castro (44’) e Fonseca (78’).

Vermelho directo

Luciano (57’).

Golos

1-0, por Maicon, aos 68’; 2-0, por James Rodríguez, aos 72’.

Notícia actualizada às 22h40