Protecção Civil aposta em fogo controlado para prevenir risco de incêndios florestais

Foto
Encosta da Peninha é uma zona de risco de incêndio florestal RUI GAUDÊNCIO

Técnicos do Parque Natural de Sintra-Cascais e investigadores universitários vão avaliar os impactos de intervenção para a fauna e a flora da zona

A Protecção Civil de Cascais tem programada para hoje uma acção de fogo controlado na encosta da Peninha, junto à Malveira da Serra, com vista a reduzir os riscos de incêndios florestais na serra de Sintra. Segundo o vereador Pedro Mendonça, "está tudo preparado" para que a intervenção tenha lugar, o que acontecerá "desde que se mantenham reunidas as condições meteorológicas favoráveis."

A iniciativa do serviço municipal de Protecção Civil insere-se no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios e, segundo explica uma nota camarária, tem como "objectivo a diminuição do risco de incêndios florestais". Nesse sentido, realizou-se na semana passada uma sessão de sensibilização junto de proprietários e moradores das localidades de Biscaia, Almoinhas Velhas, Figueira do Guincho, Malveira da Serra, Janes, Zambujeiro e Murches.

A utilização do fogo controlado, acrescenta a nota do gabinete de comunicação da autarquia, "visa a diminuição da carga vegetal combustível, de forma a reduzir o risco de incêndios e sua propagação, numa área da serra de Sintra, com características muito próprias, com declives acentuados, de difíceis acessos, com um posicionamento estratégico na evolução do fogo para a restante área da serra, agravada pelos ventos dominantes." A intervenção, explica o vereador da Protecção Civil de Cascais, Pedro Mendonça, incide sobre três parcelas de terreno na encosta da Peninha, com uma área total de 15 hectares, numa "zona muito importante que pode reduzir o risco de propagação de fogo para espaços com maior carga combustível na serra."

A técnica do fogo controlado, segundo a autarquia, quando de acordo com os procedimentos adequados, revela-se "eficaz nos seus resultados e não agressiva para o solo, flora e fauna." Uma fonte do Parque Natural de Sintra-Cascais confirmou que os técnicos da área protegida estão a acompanhar a intervenção e, juntamente com especialistas universitários, realizaram um levantamento das espécies da flora e da fauna da zona para posteriormente avaliarem o impacto da utilização da técnica do fogo controlado.

Para além desta acção, estão em curso outras intervenções de gestão de combustíveis florestais junto aos aglomerados da Malveira da Serra, Janes e Pisão, que consistem na limpeza dos terrenos numa faixa de 100 metros no limite daquelas povoações. Estas intervenções deverão ficar concluídas até ao final de Março. Para outras áreas de povoamentos florestais na serra, estão ainda projectadas outras acções, como "o controlo e limpeza de matos e dos exemplares arbóreos de espécies infestantes (acácias e pitósporos)."